sexta, 17 de novembro de 2017 - 10:38:55 PM
sexta, 17 de novembro de 2017 - 10:38:55 PM
Lucio Jaques
Novembro Azul
Sicoob Cartão
PUBLICADA EM 13 de novembro de 2017 - 5:38 PM

Audiência Pública discute contrato com a Casan em Xanxerê

Reana Seguros

Será realizada nesta terça-feira (14), às 19 horas, na Câmara de Vereadores de Xanxerê, audiência pública para discutir o contrato com a Casan, em cumprimento ao Plano Municipal de Saneamento Básico. O vereador Wilson Martins dos Santos defende a municipalização da água em Xanxerê.

Segundo ele, muitas cidades de Santa Catarina já municipalizaram o abastecimento de água e outras tantas estão na luta para municipalizar. A Casan hoje está presente em 195 municípios catarinenses, bem menos que os 278 de 2002, época em que o município de Xanxerê renovou o contrato com a empresa para um período de 20 anos. O vereador acredita que esses números demonstram o descontentamento da população catarinense com a companhia que durante todos estes anos não fez os investimentos que prometeu e que eram necessários para qualidade no abastecimento e no saneamento básico.

Xanxerê é um exemplo claro disso. Em 2002 quando firmou um contrato com o município, a Casan se comprometeu a investir R$ 15 milhões e atingir 100% da população xanxerense com o abastecimento de água. “Isso não aconteceu e se não fossem os poços artesianos do município, muitas famílias estariam sem água hoje. É um absurdo”, destaca o vereador Wilson Martins dos Santos.

Martins acredita que a assinatura de um novo contrato com a Casan é um risco inclusive para estes poços artesianos. “Ao firmar um novo contrato por um período tão longo, estaremos dando a possibilidade da Casan de cobrar o domínio destes poços que foram investidos pela própria comunidade. Não haverá uma garantia já que a concessão da água será da estatal”, disse o vereador.

Para ele, o gerenciamento local da água e esgoto significa vantagens para a população do município. “Esta municipalização é uma tendência, pois a população está sendo beneficiada, diretamente, com tarifas mais baixas e qualidade no atendimento. O município terá o poder de regular sua própria tarifa de acordo com a sua realidade. Sem contar o incremento na economia local já que os recursos ficaram todos no município. Quem sai ganhando é a população”, afirma.

Entre os municípios que já municipalizaram o abastecimento de água está Joinville. A maior cidade catarinense faturou no ano de 2016 R$ 25 milhões com a Cia. de Águas de Joinville, além disso, todo o planejamento feito para o ano passado, mais de 80% foram executados. “Guardadas as proporções, Xanxerê tem todas as condições para obter lucro e fazer investimentos com a municipalização da água. É só tirarmos como exemplo as associações que fazem a distribuição para mais de 40 % das famílias xanxerenses. A do bairro São Jorge, por exemplo, fez a aquisição dos imóveis utilizados para captar e distribuir a água com contribuição de seus associados. Recentemente uma bomba queimou, devido a oscilação da energia, e foi paga a vista pela associação um valor de R$ 12 mil. Isso com o valor da taxa quase três vezes menor do que a cobrada pela Casan”, finalizou.

Além de Joinville, municípios como Lages, Palhoça, Timbó, Itapema, São José do Cedro, Joaçaba entre outros já municipalizaram a água. Em Concórdia, onde o problema de abastecimento e discussão do contrato é muito semelhante ao daqui, vereadores já trabalham para buscar a municipalização da água.

Higieniza produtos

Parceiros

Tatu parceiros
Nathan Moreira
Tiecher Banner
Celso Mattiolo
Piccoli Parceiros
Barbieri
Biasus Parceiros

Publicidade

Auto Posto Xxe
Inviolavel
Callfass Transportes
Cristal ótica
Center Hotel