domingo, 14 de agosto de 2022 - 12:45:10 PM
domingo, 14 de agosto de 2022 - 12:45:10 PM
Lucio Jaques
PUBLICADA EM 28 de junho de 2022 - 9:50 PM

Amin: “Por que não Jorginho indicar o vice? Porque o caminho do PP é sempre aceitar o outro?”

Para o senador Esperidião Amin (Progressistas) o cenário eleitoral catarinense começou a se desenhar com o apoio dado pelo diretório estadual do MDB para a pré-candidatura à reeleição do governador Carlos Moisés (Republicanos). E, com o MDB de um lado, resta a ele apontar outro caminho para o Progressistas – mesmo que algumas lideranças da legenda defendam o apoio ao governador. Esse foi o tom da entrevista que Amin concedeu ao Plenário Podcast nesta terça-feira.

– Se a decisão do MDB é para valer, se esse grupo que se reuniu fala pelo MDB, ele é o partido que terá o projeto político liderado pelo governador Moisés. Candidato a vice e a senador serão do MDB. No nosso caso, se o Progressistas na convenção desejar apoiar esse projeto, isso será homologado. O que eu acho é que isso não será homologado. Se nós temos prefeitos, deputados, somos (ao governo) em mais da metade dos municípios. O Progressistas vai tomar sua decisão. Se ele quer perfilar com o MDB, estará inovando na história política de Santa Catarina. Pode acontecer, mas eu não vou participar disso. Como o MDB, a partir de ontem, passou a ser o dono da chapa do governador Moisés, o dono da chapa, o condutor da chapa, quem quiser aderir, adere. Não é minha posição.

Amin não quis nominar os defensores da aliança com Moisés, mas disse que poderão fazer essa defesa na convenção do partido. Desde que expliquem:

Cada um pode ter a sua posição, mas vai ter que defender em público qual vai ser o day after disso. Por exemplo, apoiar o MDB no projeto político liderado pelo governador é uma decisão possível politicamente? É. Baseada em quê? Qual será a participação política do Progressistas? Essa decisão será tomada na convenção. Eu não vou aderir pessoalmente. Vou propor que o partido tenha uma postura diferente.

Questionado sobre o novo encontro com o senador Jorginho Mello (PL), também pré-candidato ao governo, rejeitou prontamente que seja um indicativo de que o Progressistas pode indicar o vice na chapa do PL.

– Por que não Jorginho indicar o vice? Porque o caminho do PP é sempre aceitar o outro? Não. Nós estamos conversando em pé de igualdade, respaldado pela executiva estadual do partido. Tudo isso será respaldado na convenção. Upiara ON LINE

Receba atualização das notícias pelo WhatsApp. Clique aqui!

Parceiros

Momento FM

Publicidade

Inviolavel
Inviolavel