quarta, 26 de junho de 2019 - 01:01:34 PM
quarta, 26 de junho de 2019 - 01:01:34 PM
Lucio Jaques
Andrioli Projetos
PUBLICADA EM 14 de fevereiro de 2019 - 5:42 PM

Atraso na folha de pagamento dos funcionários estaduais

Reana Seguros

O secretário da Fazenda, Paulo Eli, em recente entrevista, afirmou que a situação dos cofres do estado não é das melhores e que a qualquer momento a folha de pagamento dos servidores estaduais pode sofrer atrasos. O secretário foi enfático ao frisar que, se não houver um fortíssimo enfrentamento desta questão, vai faltar dinheiro para pagar os servidores.

Situação gravíssima

Paulo Eli também afirmou que só não houve atraso salarial em 2018 porque os Tribunais de Justiça e de Contas emprestaram R$ 70 milhões ao Executivo. A situação fiscal de Santa Catarina é gravíssima. Nesta sexta-feira (15), acontece uma reunião com o comitê formado pelos secretários da Fazenda, Administração, Casa Civil e Procuradoria para discutir esta questão.

Fumaça na Câmara

Quanto aos aumentos do salário e do número dos vereadores na Câmara de Xanxerê, ninguém se habilita a falar. Tem gente que afirma que este assunto ainda não entrou em pauta, internamente, mas ninguém afirma categoricamente que estas questões não estão sendo discutidas ou pensadas. Vem novidade por aí. Já diz o velho ditado: “Onde há fumaça há fogo”

Podemos em SC

O senador paranaense Álvaro Dias avança conversas para fortalecer a legenda em Santa Catarina. Dias conversa com lideranças do MDB. Um dos nomes que vem sendo sondado é o do deputado estadual Valdir Cobalchini, que já se manifestou descontente com a situação interina do MDB. Nos bastidores existem conversas de que poderão migrar para o Podemos lideranças do DEM e PR. Conversações também vêm acontecendo aqui no Oeste para fortalecer o Podemos, com lideranças políticas importantes.

Menegolla visita Flex

A denúncia feita pelo vereador Wilson Martins dos Santos (PSDB) na tribuna da Câmara de que a empresa Flex poderia sair do município, levou o prefeito Avelino Menegolla, acompanhado do presidente da Associação Empresarial de Xanxerê (Acix), Neimar Colpani e do vice-presidente Realdo Tavares, nesta manhã de quinta-feira (14), a visitarem a unidade de Xanxerê. O prefeito reforçou a importância da empresa no município, gerando emprego e renda, bem como relembrou o processo de instalação. A superintendente operacional da unidade de Xanxerê, Maria Lucélia Steffens, lamentou os boatos envolvendo a empresa e confirmou as intenções de permanecer em Xanxerê, com a contratação de cerca de 100 novos colaboradores, em processo seletivo que já está em andamento.

Gesto de Moreira

Assim como o MDB, outros partidos buscam curar as feridas da última eleição. O MDB mais ainda, pois tinha o candidato à majoritária e vive um momento de turbulência interna antes mesmo da eleição e escolha do candidato ao governo. Desde a partida do grande líder, o sempre governador Luiz Henrique da Silveira, o partido ficou órfão e dividido, entre alas, como as de Mauro Mariani, Pinho Moreira, entre outras. Ninguém conseguiu ocupar o espaço de liderança de Luiz Henrique, no partido. O MDB precisa urgentemente juntar os cacos e curar as feridas, mais do que isto, o partido precisa se oxigenar, dando espaço para que novas lideranças guiem os destinos e projetos do MDB, já pensando nas eleições de 2020 e 2022. Está na hora de Moreira fazer um gesto retirando seu nome para a presidência do MDB, em nome  da união e fortalecimento do partido internamente.

Nova geração

Não vejo o MDB enfraquecido ou acabando, apenas vive um novo momento, de mudança e renovação. Resta saber se o partido está decidido a dar este passo tão importante em nível estadual. Já nacional, o MDB também precisa se reinventar e sair das mãos dos velhos caciques, como Renan Calheiros, José Sarney, entre outros. Estamos vivendo um momento onde a nova geração ocupa, inevitavelmente, seu espaço em todos os grandes partidos.

Afinal, quem manda???

O presidente Jair Bolsonaro está vivendo momentos de extrema turbulência em seu governo, desde que assumiu, tudo graças às interferências patéticas  de seus três filhos – Flavio, Eduardo e Carlos, que ficam falando e dando declarações em nome do presidente do Brasil. Isto não existe, os filhos não fazem parte, nem tem o direito constitucional para falar em nome do governo, apenas o presidente. Bolsonaro precisa urgentemente acabar com os pseudo “porta-voz” do seu governo, não interessa se são seus filhos, pois legalmente eles não têm este direito. Os filhos do presidente estão criando instabilidade no governo. Verdadeiro fogo amigo.

Cartão Sipag

Parceiros

Piccoli Parceiros
Tiecher Banner
Tatu parceiros
Wilson Martins

Publicidade

Inviolavel
Fit Fish
Momento FM