sábado, 22 de fevereiro de 2020 - 10:15:03 PM
sábado, 22 de fevereiro de 2020 - 10:15:03 PM
Lucio Jaques
66 anos II
66 anos
PUBLICADA EM 03 de fevereiro de 2020 - 4:42 PM

Biasus afirma que o MDB está aberto a coligações, sem restrições

Reana Seguros

 

O MDB xanxerense amadureceu, isto é inegável. Foi o primeiro partido oficialmente a lançar pré-candidato a prefeito, o ex-vereador, ex-secretário de estado e advogado, Adenilso Biasus, por consenso, demonstrando que o partido está unido e quer voltar a governar Xanxerê. Biasus deixou claro em entrevista que o MDB não tem restrições a nenhum partido para fechar coligação. “Não vou vir com discurso de divisão da sociedade, mas sim um discurso de projetar Xanxerê para os novos tempos. Neste barco todos estaremos juntos sem deixar ninguém fora deste barco do desenvolvimento. Meu discurso será de união”, afirmou.

MDB tem candidatos

Adenilso Biasus volta ao cenário político e defende um projeto maior para Xanxerê. Conforme Biasus, seu nome está à disposição do partido para concorrer a prefeito nesta eleição, mas o MDB conta com outros nomes, como os do vereador Vilson Piccoli e do ex-secretário regional Carlos Colatto.  Biasus disse ainda que está muito tranquilo sobre as eleições, podendo ou não concorrer, caso a sociedade entenda isto. “Não é projeto pessoal, nem do MDB, mas sim da sociedade, tanto que posso ser candidato ou não, caso o grupo entenda isto. A prioridade é Xanxerê”, garante.

Prefeito firme

“Nós precisamos avançar, está existindo falta de prioridades na conclusão de obras importantes, uma delas é o saneamento básico, que ainda não foi terminado por falta de gestão. O próximo prefeito terá que ser um prefeito firme, que resolva os problemas e não enrole, o povo não aguenta mais isto em nível de Brasil”, disse. Biasus tem mais de 20 anos na área de gestão pública e afirma que sabe como resolver e onde buscar os recursos. “Inimaginável que em 12 anos o problema do saneamento não tenha sido resolvido. Isto será prioridade, como a saúde publica”, afirma.

Miri está pronto

O ex-prefeito e secretário de Esporte, Ademir Gasparini, vem trabalhando com muito afinco na área, realizando um trabalho elogiável. Mais do que isto, Gasparini vai participar do pleito eleitoral deste ano. Amigos mais próximos afirmam que Miri analisa o cenário político, caso tenha espaço está pronto para concorrer a prefeito, novamente. Mas também não descarta uma vaga no Legislativo. Isto só o tempo dirá. A conferir.

Estão trabalhando

Dois nomes despontam hoje no cenário político e estão trabalhando muito, são os vereadores Wilson Martins e Adriano de Martini, que estão há mais de dois anos fazendo política partidária, firmando seus nomes junto à base e à sociedade xanxerense. É cedo para tirar qualquer conclusão, mas são nomes que estarão no cenário político desta eleição, isto é certo.

Tatu é pré-candidato

O vereador João Paulo Menegatti está com o discurso na ponta da língua. Tatu está em campanha e trabalha em silêncio sua pré-candidatura a prefeito, o que tem surpreendido muita gente. Tatu defende uma candidatura sem amarras políticas, com liberdade para governar, sem ter que pagar promessas de campanha. Tatu me confidenciou que se for preciso vai de chapa pura, mas quer liberdade para governar.

Merisio na Campina

O ex-deputado Gelson Merisio tem visitado a “Campina da Cascavel”, mas de uma forma bem discreta. Merisio tem se reunido com lideranças e amigos, e acompanhado o desenrolar político de Xanxerê. Merisio começa a formatar seu projeto político para o município, resta saber quando efetivamente vai mostrar a sua cara tucana, discutindo com o PSDB o pré-candidato a prefeito e apoiar abertamente. Hoje o nome dos tucanos é o do empresário Péricles Vicini.

Bola fora

O governador Carlos Moisés continua colecionando “bola fora”. O governador Moisés não participou da eleição do novo presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), o que, naturalmente, deixou os prefeitos indignados. Com toda razão.

Bola fora 2

Outra bola fora do governador Carlos Moisés (PSL) foi a compra de 85 carros, com valor de até R$ 150 mil, feita pela Secretaria de Estado da Educação. Convenhamos, o valor é de carro de luxo, governador. Desta forma, a oposição realmente tem motivos de sobra para criticar este governo que começa o ano já com um pedido de impeachment para resolver. Pegou mal.

Buligon no PSL

As conversas de bastidores dão conta que o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (DEM), deve trocar de partido, novamente, e assinar ficha no PSL do governador Moisés. Em conversa com o presidente estadual do Democratas, João Paulo Kleinübing, na última sexta-feira, Buligon afirmou que está mesmo propenso a aceitar o convite do governador. Kleinübing pediu para Buligon ainda reavaliar e que não anunciasse a mudança, sem antes falar com ele.

Cartão Sipag

Parceiros

Tatu parceiros
Piccoli Parceiros
Tiecher Banner

Publicidade

Vicini Pneus
Inviolavel
Momento FM