domingo, 12 de julho de 2020 - 06:51:10 PM
domingo, 12 de julho de 2020 - 06:51:10 PM
Lucio Jaques
Reana Seguros
PUBLICADA EM 05 de março de 2020 - 6:36 PM

Pré-candidatura de Edson Marció tem boa receptividade

App Sicoob

 

O empresário e pré-candidato pelo “PODEMOS”, Edson Marció, está realizando inúmeras visitas para amigos e empresários, apresentando seu projeto político e manifestando a sua vontade de concorrer a prefeito nas próximas eleições. Informações de bastidores dão conta que a receptividade tem sido muito boa, o que tem incentivado, ainda mais, o empresário a aceitar o desafio. Marció não é político profissional, mas um administrador respeitado e de sucesso. Um nome que já começa a incomodar os adversários que temem sua ascensão política.

Xanxerê quer mudança?

Há décadas um grupo de famílias xanxerenses se reveza na administração municipal. A eleição este ano promete ser diferente, muitos analistas políticos acreditam que um nome novo que fuja deste grupo pode ser a surpresa nesta eleição. Antes disto, é preciso saber e mensurar o quanto a onda Bolsonaro, da última eleição, vai interferir na eleição local. O eleitor quer mesmo a mudança e não vai vender seu voto? A conferir. Para finalizar, este grupo que governa há anos, vai fechar um Frentão ou uma Tríplice Aliança? São aspectos que precisam ser analisados. A resposta virá daqui uns meses, depois da Expofemi 2020. Por enquanto, as costuras políticas andam a todo vapor.

Lideranças irão participar e serão reconhecidas

Hoje, inevitavelmente, a eleição municipal passa pela participação de algumas lideranças, a começar pelo ex-prefeito Bruno Bortoluzzi, que caso decida disputar a eleição ou participar nos bastidores, muda o quadro político. Até mesmo o MDB, maior partido do município, já declarou apoio a Bortoluzzi, caso este desejar concorrer a prefeito. Outro é o ex-deputado Gelson Merisio (PSDB) que sempre teve uma força na Campina, politicamente. Resta saber se agora no ninho tucano Merisio vai ter força suficiente para opinar, ou não. E outro grupo de líderes que está com a faca e o queijo na mão são os empresários.

Caroline De Toni não vai

A deputada federal Caroline De Toni vem sendo assediada para que dispute a eleição de Chapecó, pois seria um nome forte para a disputa eleitoral, fazendo sombra para muitos candidatos a prefeito. Mesmo sendo marinheira de primeira viagem, Caroline sabe que vencer as eleições de Chapecó seria um desafio muito grande. A deputada já avisou que não será candidata, vai cumprir o seu mandato e aproveitar para pegar mais experiência na vida pública, dentro da Câmara Federal, sem sofrer desgaste desnecessário. Caroline demonstra maturidade política com esta decisão. Um nome no futuro que pode ascender politicamente na terra dos desbravadores. A conferir.

Moisés precisa urgente fazer política 

O governador Carlos Moisés tem que acabar com a blindagem que ele criou e conversar com os setores produtivos, sociais e representativos. Moisés tem que começar a fazer política, urgente. Só cantar e se esconder não basta. O ano começou e Moisés perde força e aliados. Esta semana o governador sofreu quatro derrotas importantes.

Derrotas do governador

O ano começou e o governador Carlos Moises vem perdendo espaço e força junto aos aliados e dentro da Assembleia Legislativa. Em menos de dois dias o governador teve quatro derrotas políticas. A primeira aconteceu no jantar na Casa D’Agronômica para reunir sua base no Legislativo. O MDB confirmou a presença da bancada, mas apenas os deputados Valdir Cobalchini e Moacir Sopelsa compareceram. O convite oficial contemplava cerca de 25 deputados estaduais de vários partidos. Compareceram apenas 10 parlamentares.

A segunda derrota veio com a decisão do plenário da Assembleia Legislativa de convocar o secretário da Administração, Jorge Tasca. Com um detalhe: o requerimento foi aprovado por unanimidade.

A terceira registrou-se na esfera judicial. O Tribunal de Justiça decidiu pela abertura da famosa caixa preta dos incentivos fiscais.

E a quarta derrota política é a decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de acolher requerimento do deputado Laércio Schuster (PSB), de instalação de uma auditoria extraordinária na Secretaria Estadual da Saúde sobre os recursos do Fundo Estadual de Saúde.

Boicote do MDB

O MDB boicotou o jantar do governador Moisés em protesto pela não liberação de recursos de emendas e convênios com as prefeituras e pelos atos de cooptação de prefeitos e lideranças para o PSL. A bancada do MDB também não assimilou a escolha da deputada Ana Paula, a Paulinha, do PDT, para ser a nova líder do governo.

Deputados ou marajás…

Cada um dos 513 deputados federais tem direito a mais de R$111 mil por mês de “verba de gabinete” para pagar 25 cargos comissionados para funcionários que podem trabalhar no gabinete do parlamentar em Brasília ou no estado de origem. Apenas em janeiro deste ano, o total gasto por deputados federais foi de R$ 54,7 milhões, o que representa apenas 90,7% do que havia disponível para esse tipo de despesa. Funcionários pagos com a verba de gabinete são contratados pelos deputados, e têm salários de R$ 1.025,12 a R$ 15.698,32. É muita mordomia para estes verdadeiros marajás.

Parceiros

Fit Fish

Publicidade

Inviolavel
Momento FM