domingo, 29 de novembro de 2020 - 09:55:47 PM
domingo, 29 de novembro de 2020 - 09:55:47 PM
Lucio Jaques
Reana Seguros
PUBLICADA EM 07 de abril de 2020 - 1:45 PM

Com quem estará coligado: MDB, PSDB, PL, PSD e PP?

App Sicoob

 

Estas perguntas precisam ser respondidas até dia 5 de agosto, prazo final para as coligações. Mas claro que serão respondidas bem antes, afinal os partidos já estão com suas pré-campanhas na rua, desde o ano passado. MBD e PSDB têm afinidades, não só pela pessoa do ex-prefeito Bruno Bortoluzzi, mas pelo consenso dentro do MDB que já se dispôs a apoiar e estar com Bortoluzzi, caso este dispute a eleição, o que até agora é negado por ele. O PL surge como uma nova força política, que conta já com apoio de quatro partidos e poderia compor com o MDB, PSDB ou PP. A conferir.

Disputa

Já o PSD, inegavelmente, com a saída de lideranças importantes como Gelson Merisio, Ivan Marques, Jelder Bavaresco, entre outras, deixa o partido fragilizado, contanto com a força do prefeito Avelino Menegolla e do ex-prefeito Ademir Gasparini, que vem realizando um belíssimo trabalho na área do esporte e está com o terno pronto para disputar novamente a prefeito. Mas com quem irá se coligar com o PSD? Quem será o candidato a prefeito? Perguntas que em breve serão reveladas. Mas neste momento o PSD está isolado, até por ser situação. Já o PP tem a opção e liberdade de compor com todos os partidos. O PT deve ir com chapa pura, mesmo que nos bastidores muitos gostariam de uma coligação com o PSD.

Começou afunilar

Com o término da janela partidária que permitiu a troca de partidos, começamos a ter uma verdadeira noção de como e quais serão os possíveis pré-candidatos a prefeito nesta eleição. Acabou a festa de lançamentos de pseudo candidaturas, até porque muitas lideranças trocaram de partido, dando uma visão clara de que preferem mesmo é disputar a vereador. Mas colocam seus nomes em evidência por um período. O chamado 15 segundos de fama na televisão.

O PSL renasce nesta eleição

O PSL renasceu em Xanxerê com a ida do vereador Wilson Martins, pré-candidato a prefeito, e com apoio do governador Carlos Moisés.  Martins vem trabalhando há meses para formar uma chapa forte de vereadores. As negociações com outros partidos estão em andamento, mas nada foi definido ainda quanto ao vice. Mas conforme Martins, o partido está aberto para conversações. O PSL só descarta coligações com o PT e partidos que estejam alinhados à administração. Está conversando com alguns partidos, mas pretende fazer uma coligação enxuta. Já está montando sua estrutura com vistas às eleições municipais. Entre os pré-candidatos do partido, tem alguns nomes conhecidos como o ex-vereador Amélio Radaelli, o engenheiro Mauro Narciso, o PM Serginho Nunes, a servidora Silvania Moretto, entre outros candidatos.

MDB xanxerense ganha musculatura política

Conforme uma fonte fidedigna, o MDB xanxerense trabalhou arduamente em silêncio para trazer lideranças para a sigla, uma delas foi o vice-prefeito Ivan Marques, o ex-vereador Flávio Filappi, entre outras lideranças. O MDB tem hoje uma das chapas mais fortes para vereador, com nomes como Marcos Colatto, Rama, Ivan Marques, Adriane Spilmann, Poliana Aparecida da Silva, Cabo Oliveira, Rogério Fuhr, Claudio Laranjeira (Seco), Júnior Boni, entre outros.  O pré-candidato a prefeito Adenilso Biasus vai contar com time de bons puxadores de votos.

PL ganha musculatura política

O prazo da chamada janela partidária terminou e as lideranças que queriam trocar de partido aproveitaram para fazer isto, buscado uma nova sigla. Muitas lideranças de Xanxerê trocaram de partido já pensando na disputa do pleito eleitoral deste ano. Um dos partidos que ganhou musculatura política foi o PL, comandado pelo empresário e pré-candidato a prefeito Leandro Júnior Vigo. Assinaram ficha no partido lideranças importantes e de peso político, como o vereador Vilson Piccoli, também pré-candidato a prefeito, a psicóloga Iara Callfass, entre outras lideranças, que serão anunciadas em breve.

 

Lideranças buscam ninho tucano como abrigo

O PSDB xanxerense passou por uma troca de comando e de renovação. Com a janela partidária trouxe para o ninho tucano lideranças importantes, como o vereador Nathan Moreira, Maximiliano Tófollo, pré-candidato a vereador, o empresário Jelder Bavaresco, entre outros. Um sinal claro que o coordenador estadual Gelson Merisio, do PSDB, o mais novo tucano, está se movimentando em Xanxerê e trazendo alguns dos seus para o ninho.

Briga de Titãs

Agora é briga de titãs, resta saber com quem estarão coligados os grandes partidos. Aí vem uma série de questionamentos. A realidade hoje mostra cinco partidos na briga eleitoral: MDB, PSDB, PSD, PL  e PT. Correndo por fora, vem o PTB, com o vereador João Paulo Menegatti (Tatu) que vai de chapa pura. O PP com Arnaldo Lovatel. E outros partidos pequenos que vão naturalmente se coligar.

O circo criado por Bolsonaro

Um dia após ter criado um verdadeiro circo, com shows pirotécnicos para fritar em praça pública o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, a sociedade brasileira acordou atônica sem entender nada. Mandetta ficou no cargo e mais fortalecido, com apoio explícito da Câmara Federal, Senado, militares, área médica e a sociedade. Mandetta voltou ao cargo, que nunca saiu, com respaldo e dando ordem. Já o presidente Bolsonaro teve que se recolher a sua insignificância e voltar atrás sobre sua equivocada decisão de demitir Mandetta. Pior, caiu num isolamento político. Isolamento este que ele mesmo criou pela sua intolerância e prepotência.

O gerador de crises

Nunca antes na história do país, um presidente gerou tanta crise sem necessidade. Bastava o presidente Bolsonaro agir como líder neste momento de pandemia mundial, onde o mundo se ajoelha para um inimigo invisível, o COVID-19, que vem assustando e matando milhares de pessoas pelo mundo e também no Brasil. Este era o momento de Bolsonaro se consagrar novamente perante à sociedade como líder, mas não, preferiu mais uma vez criar uma crise, em busca de populismo barato e irresponsável, indo contra todas as recomendações de infectologistas, técnicos de saúde mundiais, a Organização Mundial de Saúde e o seu próprio ministro de Saúde, por vaidade pessoal.  Bolsonaro está governando com discurso de campanha, a eleição acabou, só não disseram para ele.

Parceiros

Publicidade

Inviolavel
Momento FM