terça, 22 de junho de 2021 - 10:04:29 AM
Lucio Jaques
App Sicoob
PUBLICADA EM 21 de maio de 2021 - 2:50 PM

Em busca de espaço: Eduardo Pinho Moreira quer disputar uma vaga na Alesc

Jovem Aprendiz

 

O primeiro cacique emedebista a buscar seu espaço na próxima eleição é o ex-governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), que admitiu ter interesse em concorrer a deputado estadual. Foi durante uma visita de Moreira a casa do ex-prefeito de Içara, Murialdo Bastaldon. Moreira sabe que não tem espaço para brigar, neste momento, por uma candidatura a governador.

MDB busca unidade

O MDB está dividido desde a morte do líder Luiz Henrique e busca, internamente, curar as feridas deixadas desde a última eleição, quando não obteve uma boa atuação, ficando fora do segundo turno na disputa. Lideranças emedebistas, a exemplo do presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal, trabalham para a unificação antes da eleição e são contra as prévias do partido previstas para o mês de agosto.

Harmonizar

O presidente estadual do MDB, deputado Mauro de Nadal, defende que o partido precisa se harmonizar, internamente, por tudo o que representa, com seus 185 mil filiados. “Sempre prezei pelo bom entendimento”, garante. Com certeza vai gerar para os catarinenses um grande projeto. Sem disputa entre os três pré-candidatos – Antídio Lunelli, Celso Maldaner e Dário Berger.

MDB é governo e quer governar

Não restam dúvidas que o MDB está e é governo nesta nova fase do governo de Carlos Moisés. Através da bancada estadual do partido, mais de 40 prefeitos manifestaram apoio pela permanência do governador Moisés no cargo. O próprio presidente da Alesc, o emedebista deputado Mauro de Nadal saiu em defesa do governador. “Vejo que temos mais de um ano e meio para fazer um bom governo, com muitas entregas aos catarinenses”, afirmou.

Cruzou fronteiras

O excelente trabalho do prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), no combate à Covid-19, cruzou fronteiras. Rodrigues recebeu o vice-prefeito de Palmas-PR, Bruno Goldoni, acompanhado de dois assessores, em seu gabinete. A visita aconteceu nesta quinta-feira (20). Goldoni foi conhecer especialmente as ações da Administração Municipal no combate à Covid. Rodrigues falou das medidas adotadas, como ampliação de leitos, testagem rápida, tratamento imediato e monitoramento dos positivados.

Buscar o tempo perdido

 Esta é a palavra de ordem no governo de Carlos Moisés (PSL), neste novo momento do governo. Moisés corre atrás do tempo perdido, agora mais tranquilo, sem o fantasma do impeachment que o assombrou e deixou marcas em seu governo. O governador tem metas definidas e viaja pelas regiões do estado atendendo velhas reivindicações e assinando convênios. Moisés busca deixar o passado para trás e construir uma nova história. Mas antes o governador tem que explicar para a sociedade catarinense onde foram parar os recursos da compra fantasma dos respiradores. Aí, sim, Moisés pode pensar em reeleição. O próprio governo intensifica a investigação para apontar onde foram parar os recursos. A conferir.

 Missa sétimo dia

A família Maldaner comunica que a missa de sétimo dia do ex-governador Casildo Maldaner será celebrada neste domingo (23), às 19h30, na Catedral Metropolitana de Florianópolis. Serão respeitados todos os protocolos de prevenção à Covid-19.

Ser ou não ser…

O ex-presidente Luiz Inácio da Silva (Lula), num rompante, em entrevista ao jornal francês Paris Match, disse que será candidato em 2022. Mas esta afirmação durou apenas um dia. Lula afirmou que a decisão ainda não está tomada. “Eu ainda não decidi se sou candidato, posso ser candidato, tenho que ter responsabilidade para tomar minha decisão”, disse Lula, que ainda afirmou que “se for candidato, serei para ganhar”.

Lula está em campanha

O petista aproveitou a entrevista, onde afirma que pode ser candidato à presidência para alfinetar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmando que a opção dos brasileiros nesta eleição é retirar Bolsonaro do poder. “Não se trata se o Lula vai vencer ou não Bolsonaro. O povo brasileiro vai derrotar o Bolsonaro. Vai fazer uma opção pela democracia, por alguém que seja humanista, que gosta de paz e não de guerra, que não faça discurso de ódio 24 horas por dia”, afirmou. Em síntese, Lula afirma que ainda não definiu se vai ser candidato à presidência, mas faz discurso de quem já está em campanha.

Polarizaram a eleição

Está claro que Bolsonaro e Lula polarizaram a discussão sobre a eleição do ano que vem. Com destaque nacional, ambos tem adotado como objetivo a campanha eleitoral de 2022. De um lado, Bolsonaro busca desclassificar seu adversário. Na última quinta-feira (20), Bolsonaro atacou Lula afirmando: “Um bandido que não tem um dedo falou há pouco que ia dar auxílio emergencial de R$ 600 para todo mundo. Por que não fez lá atrás com o Bolsa Família?”, disse.  Já Lula respondeu a Bolsonaro “Ele foi desrespeitoso com a ciência, com os médicos e até hoje ele brinca com a Covid e não tem nenhum respeito pelas famílias dos mais de 440 mil mortos”, disse. Começou o combate.

 

Receba atualização das notícias pelo WhatsApp. Clique aqui!

Parceiros

Publicidade

Inviolavel
Momento FM