sexta, 27 de novembro de 2020 - 03:53:22 AM
sexta, 27 de novembro de 2020 - 03:53:22 AM
Lucio Jaques
Reana Seguros
PUBLICADA EM 20 de agosto de 2020 - 5:05 PM

Exclusivo: DEM lança Celi como pré-candidato

App Sicoob

 

Eu já tinha falado em minha coluna que o DEM xanxerense teria candidato a prefeito nesta eleição. Muitos foram céticos a esta notícia. Pois é, depois de ficar em silêncio e observar os movimentos políticos o Democratas (DEM) de Xanxerê lançou o empresário Loacir A. Celi, como pré-candidato a prefeito, e o advogado e professor universitário Vinícius A. Mozetic. Mais uma vez, o tabuleiro político da Campina da Cascavel é sacudido com novas notícias políticas. Sem dúvidas, mexe com o cenário político.

Caminho de Bruno Bortoluzzi é o Legislativo

O ex-prefeito Bruno Bortoluzzi (PSDB) está certo que ficará fora do pleito eleitoral como candidato, este ano. Mas Bortoluzzi será o principal articulador da campanha do seu primo e pré-candidato a prefeito Elias Bortoluzzi Collet. Bruno alça voos mais altos e deve disputar em 2022 uma vaga para a Assembleia Legislativa ou Câmara Federal. Agora com mais experiência na vida pública acredita que pode realizar um bom trabalho, estando em uma dessas casas. Alias, Xanxerê e a região da Amai estão sem representantes no Legislativo estadual e federal.

Juventude em destaque

Os pré-candidatos a prefeito e vice pelo PT, Adrianinho e Tiecher, estão mobilizando os filiados, simpatizantes e apoiadores para apresentar o seu programa de governo. Conforme Adrianinho é um projeto de governo inovador e participativo, que venha de todas as comunidades, para todas as comunidades e setores da cidade. “Um destaque deste programa é a inclusão da juventude na política e meio profissional. Encontros virtuais vêm sendo realizados com a juventude para ouvir suas propostas para Xanxerê”, conta. O pré-candidato afirma que está satisfeito com a aceitação por parte da sociedade xanxerense do seu projeto, que visa à participação de todos na administração.

PSDB discute alianças

Conforme o presidente municipal do PSDB xanxerense, Péricles Viccini, o partido vem mantendo conversações com outras legendas para formar uma forte aliança para o pleito eleitoral. Também está visitando lideranças e filiados, apresentando o pré-candidato a prefeito Elias Bortoluzzi Collet. “Outro trabalho interno que vem sendo realizado são reuniões com os pré-candidatos a vereador e discutindo a estrutura de campanha”, diz o presidente.

PL realiza conversações

Conforme o coordenador regional do PL e pré-candidato a prefeito, Leandro Vigo, várias reuniões vêm acontecendo com outros partidos para discutir uma aliança para esta eleição. “O PL está aberto a conversações, não vamos deixar de ouvir as propostas de nenhum partido, mas deixo claro que o PL terá candidato a prefeito nesta eleição”, garante. Quanto à convenção do partido, Vigo afirma que será próxima ao final do prazo eleitoral. “Até lá muita coisa pode acontecer, afinal a política é muito dinâmica”, alerta.

Eleição de vereadores é importante

Esperamos que nesta eleição municipal, o eleitor não cometa o erro crasso de deixar de lado a eleição do vereador para pensar somente na eleição do prefeito e vice. Este equívoco vem acontecendo em todas as eleições. Um ledo engano, pois a verdadeira importância também está na eleição dos vereadores, pois eles darão ou não viabilidade às administrações municipais e são os representantes mais perto do povo. Este ano, pela primeira vez, a eleição para vereador não permitirá a coligação, ou seja, cada partido terá o número de candidatos por cadeira na Câmara, acrescidos de 50%, e ainda a necessidade de cumprir 30% de vagas para as mulheres, em um combate direto contra as postulantes “laranjas”. Fique esperto.

Comissão de impeachment

Alguns nomes já foram definidos para compor a Comissão Especial do impeachment do governador Carlos Moisés, da vice Daniela Reinehr e do secretário Jorge Tasca. São eles o deputado Marcos Vieira do PSDB, Ismael dos Santos do PSD, Jessé Lopes do PSL, Fabiano da Luz do PT, Luiz Fernando Vampiro e Moacir Sopelsa do MDB, João Amin do PP e Sérgio Mota, do Republicanos.

Apenas um cidadão

Há quem aposte de pé junto que o empresário Jelder Bavaresco participará deste pleito eleitoral. Já Bavaresco é categórico em afirmar que apenas vai colaborar como qualquer cidadão xanxerense. Mas não esconde sua preferência pelo pré-candidato a prefeito Adenilso Biasus do MDB. A conferir.

Num próximo pleito

Mais uma eleição e o empresário Oscar Martarello vem sendo assediado, novamente, para que concorra como pré-candidato a prefeito nesta eleição. Martarello já avisou que não tem condições de aceitar qualquer outro compromisso, que não seja cuidar de suas empresas. Mas Martarello não esconde que num futuro próximo deve colocar seu nome à disposição para disputar um pleito eleitoral. Seria 2024? Isto só o tempo dirá.

Deputado critica governo

O deputado estadual Milton Hobus divulgou vídeo em que critica o aumento na conta de luz da Celesc, afirmando que vai buscar a revogação dessa decisão. “O governo não pode servir para aumentar impostos e querer, com isso, justificar a eficiência da administração pública. O bom gestor, nas horas difíceis, diminui custos e aumenta a eficiência. Não pode transferir a conta para o trabalhador”, critica Hobus. O parlamentar é autor de projeto de lei em debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) que proíbe reajustes de tarifas públicas em períodos de calamidade.

Aumento da luz

A Celesc anunciou nesta semana aumento de 8,14% na tarifa de energia – 8,42% para os consumidores residenciais e 7,67% para indústrias e comércios de grande porte – a partir deste sábado. Para efeito de comparação, a inflação acumulada nos últimos 12 meses está em 2,31%, enquanto o INPC, usado para cálculo de reajustes salariais, está em 2,35%.

Impossível governar

O presidente Jair Bolsonaro lamentou, nesta quinta-feira (20), que o Senado tenha decidido derrubar o veto dele ao reajuste salarial a algumas carreiras do funcionalismo público e disse que, se a Câmara seguir o entendimento, vai ser “impossível governar o Brasil”. De acordo com o presidente, a medida teria um impacto de ao menos de R$ 120 bilhões nos cofres públicos. Bolsonaro espera que a Câmara mantenha o veto porque, segundo ele, “é responsabilidade de todo mundo ajudar o Brasil a sair do buraco”.

Até quando?

Estamos no segundo semestre e a briga entre Executivo e Legislativo parece não ter fim. As eleições municipais chegando e em breve os nobres deputados e senadores devem abandonar seu trabalho no Congresso para atender e ajudar os candidatos a prefeitos e vereadores na base. Em síntese, mais um ano que se foi e muitos projetos importantes continuam sobre a mesa ou engavetados. Uma briga de vaidades onde esquecem que o beneficiário é a sociedade.

Parceiros

Publicidade

Inviolavel
Momento FM