sexta, 14 de dezembro de 2018 - 11:45:32 PM
sexta, 14 de dezembro de 2018 - 11:45:33 PM
Lucio Jaques
Prestação de contas
Sicoob Câmbio
PUBLICADA EM 05 de novembro de 2018 - 7:59 PM

Fernando Callfass deixa o PSDB

Reana Seguros

Cheguei a publicar em minha coluna que o Delegado Regional de Polícia de Xanxerê, Fernando Callfass, seria um dos nomes do PSDB para as eleições municipais de 2020, mas ele não está mais filiado ao PSDB, nem a qualquer outro partido. Segundo o Delegado, desde que terminou seu mandato como vereador em dezembro de 2016 não tem qualquer participação partidária. Agora é esperar qual o partido que irá. Mas uma coisa é certa, Callfass é candidatíssimo a prefeito. Os adversários já comentam isso.

Exclusivamente ao trabalho

O Delegado Callfass está se dedicando exclusivamente ao trabalho como Delegado Regional de Polícia e vem se destacando fortemente em nível estadual. No mês de agosto/2018 a Delegacia Regional de Polícia de Xanxerê foi reconhecida como a mais produtiva e eficiente de Santa Catarina no primeiro semestre de 2018, ou seja, conseguiu produzir mais com menos efetivo. Callfass desde que assumiu o comando da Polícia Civil da região vem imprimindo um ritmo forte de grandes transformações na parte administrativa e operacional da polícia. Com isso ganhou respeito e admiração dos colegas e da cúpula da Segurança.

Resistência no PSL

O governador eleito Carlos Moisés (PSL) já enfrenta resistência interna de lideranças do partido. Moisés impôs o nome do coronel Onir Mocellin para o cargo, fundamental para a defesa das matérias do governo que tramitarão no Legislativo, mas esqueceu de ouvir pelo menos o apelo do deputado mais votado da sigla e da futura legislatura, o vereador Ricardo Alba, de Blumenau, que se escalava para a posição e é o único que tem conhecimento legislativo da turma. O argumento do governador eleito pró-Mocellin é de que o coronel, que foi comandante-geral do Bombeiro Militar, é um amigo de mais de 20 anos e de que tem total confiança nele. Mas isto não convenceu.

Merisio em silêncio

Quem está em silêncio é o deputado estadual Gelson Merisio (PSD). Após a derrota na eleição para o governo do estado, Merisio preferiu se retirar do cenário político e descansar um pouco e refletir o que fará daqui para a frente. Nos bastidores existem questionamentos se ele vai continuar na política ou não. O momento é de reflexão, afirmam amigos mais próximos

Nome do PSD

Quem vem sendo cogitado como um dos nomes que o PSD xanxerense deve indicar para prefeito nas próximas eleições municiais é o advogado Cristiano Tóffolo. Esta jovem liderança não gosta de discutir política antes da hora, mas observa tudo com muito cuidado. Tóffolo tem o respeito e admiração do partido e vem desenvolvendo um belíssimo trabalho junto à sociedade. Resta saber se ele vai aceitar o desafio.

Eleições

Informações extraoficiais dão conta que o Partido dos Trabalhadores já discute internamente as eleições de 2020. O PT deve lançar candidato a prefeito, mas também não descarta a possibilidade de fechar uma grande aliança. Um dos partidos que vem sendo cogitado é o PSD, mas encontra uma certa resistência de uma ala.

Nome de consenso

Começa a ser discutido nos bastidores entre lideranças empresariais e políticas, a ideia de se formar um grupo para pensar as eleições de 2020. O objetivo é sentar e planejar o município para 30 anos. O candidato a prefeito seria discutido entre as lideranças que buscariam um nome de consenso para evitar as tradicionais disputas no município. Não deixa de ser uma grande ideia, resta saber se existe mesmo a possibilidade dos grupos hoje antagônicos politicamente chegarem num consenso. Com certeza, Xanxerê sairá ganhando.

Eles voltaram…

Pois é, a eleição terminou e o MDB e o PSD, que comandam o estado, devem entregar o governo e os cargos que ocupam na máquina administrativa para o governador Carlos Moisés do PSL. A partir de dezembro, no máximo, muitos cargos comissionados serão demitidos para a nova equipe de governo assumir. Com isso, muitos comissionados que hoje estão na capital ou nas ADRs deverão voltar para sua cidade de origem. Esta gente vai se acomodar aonde? Mais um abacaxi para os prefeitos dos partidos descascarem.

Justiça eleitoral

Termina nesta terça-feira o prazo para partidos políticos e candidatos apresentarem à Justiça Eleitoral a prestação de contas final referente ao primeiro turno das Eleições Gerais 2018. Até o momento, das mais de 28 mil aguardadas, somente 716 prestações foram protocoladas, ou seja, cerca de 2% do total.

Lava Jato

O Juiz Sérgio Moro já está afastado de qualquer procedimento que envolva a Lava Jato. No seu lugar deve assumir na Vara Federal de Curitiba a juíza Gabriela Hardt. Ela já deve julgar as próximas audiências da Lava Jato, marcadas para a próxima semana. Na segunda-feira (5), iniciaram os interrogatórios de réus do processo referente ao sítio em Atibaia. O interrogatório de Lula da Silva está marcado para 14 de novembro.

Diagnóstico

O governador eleito Carlos Moisés da Silva (PSL) passou o fim de semana fazendo contatos telefônicos e pessoais, depois de várias reuniões com técnicos e autoridades do governo no Centro Administrativo ao longo da semana. Conforme seus assessores, seu cronograma está definido. Aprofundará ao máximo os estudos, levantamentos e obtenção de informações sobre a situação financeira do governo. Quer um diagnóstico completo para depois definir onde poderá cortar despesas, eliminar órgãos e otimizar os recursos públicos.

Ameaças

A equipe de segurança do presidente Jair Bolsonaro (PSL) estuda abandonar o tradicional desfile em carro aberto na cerimônia de posse. O veículo que costuma ser utilizado no percurso pela Esplanada dos Ministérios é um Rolls Royce que o Brasil recebeu de presente do governo britânico, em 1953. Em entrevista, Bolsonaro afirmou que vai seguir “rigorosamente” as recomendações da área de inteligência na posse. A informação é de que as ameaças partiram de diferentes fontes, inclusive de facções criminosas, como PCC e Comando Vermelho, e existem escutas telefônicas das ameaças que estão sendo investigadas.

Mudança conservadora

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira (5) que o Brasil e o mundo passam por mudanças e que é importante que os direitos fundamentais conquistados não sofram retrocessos. Na avaliação da ex-presidente da Corte Suprema, nota-se, inclusive, uma mudança “perigosamente conservadora” em termos de costumes.

TáxiGov

O TáxiGov, sistema como o aplicativo Uber criado pelo governo federal para evitar gastos com compra, manutenção e combustível de carros oficiais, gerou economia de R$ 10,2 milhões nos gastos com transporte de servidores, apenas este ano. Segundo dados do Ministério do Planejamento, houve redução de 60% em relação ao ano passado, incluindo o custo de carros desmobilizados com o uso do TáxiGov. Em 2017, o governo federal gastou R$ 328 milhões apenas com combustíveis e lubrificantes de carros oficiais. Não existia o TáxiGov.

Cartão Sipag

Parceiros

Piccoli Parceiros
Tatu parceiros
Tiecher Banner

Publicidade

Fit Fish
Inviolavel
Callfass Transportes
Momento FM