terça, 03 de agosto de 2021 - 04:02:31 AM
terça, 03 de agosto de 2021 - 04:02:31 AM
Lucio Jaques
App Sicoob
PUBLICADA EM 21 de julho de 2021 - 12:51 PM

João Rodrigues: Feliz com liderança em pesquisa espontânea ao governo do estado

saúde

 

Conversei com pré-candidato a governador, prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), sobre o que ele achou dos resultados da pesquisa, encomendada pelo Grupo ND. Rodrigues afirmou que está extremamente feliz de liderar a pesquisa ao governo do estado, na indicação espontânea. “Esta é a melhor indicação, pois está na cabeça do eleitor e com uma diferença generosa. Por outro lado, isto nos dá vontade de disputar o governo do estado. Tenho consciência que muito disto é a aproximação com o presidente Bolsonaro, mas além disso gostaria que as pessoas conheçam o meu trabalho e minha história, afinal para você concorrer ao governo do estado a principal coisa é a sua história e o serviço que você prestou, e presta, à sociedade catarinense. Meu nome está à disposição do partido e esta decisão será tomada no mês de fevereiro, discutindo com o povo de Chapecó”, afirma.

João Rodrigues lidera na pesquisa espontânea 

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), lidera a pesquisa espontânea para as eleições de governador de Santa Catarina, em 2022. O levantamento foi feito pelo Instituto Lupi & Associados, sob encomenda do Grupo ND. Na intenção de voto espontânea, João Rodrigues teve 13,5%, seguido pelo governador Carlos Moisés (sem partido), que obteve 6,3%, e Raimundo Colombo (PSD), com 2,4%. Sem dúvidas que a pré-candidatura de Rodrigues ganha musculatura política dentro do PSD.

Maior rejeição

A pesquisa estimulada também sondou a rejeição de nomes para o governo de Santa Catarina. Carlos Moisés obteve o maior índice (18,1%), seguido pelo ex-deputado federal Décio Lima (15,9%). Na sequência vem Raimundo Colombo, com 7,6%, Gelson Merisio, 5,4%, e Jorginho Mello, 4,7%. João Rodrigues aparece com 3% de rejeição.

Governo em Chapecó

O governador Carlos Moisés (sem partido), ao que parece está fazendo o seu dever de casa. Moisés transferiu praticamente todo o seu governo para Chapecó onde ficará atendendo por 4 dias, de quarta-feira a sábado. O governador vem com um belíssimo saco de bondades, recheado com R$ 250 milhões para a grande região Oeste. Nesta quarta-feira (21) o governador desembarcou de helicóptero em Abelardo Luz, acompanhado do presidente da Alesc Mauro de Nadal e secretários. Depois seguiu com sua comitiva para outros municípios e encerra em Chapecó.

Moisés em campanha

Como já falei em minha coluna anteriormente, o governador Carlos Moisés ressurgiu das cinzas como pássaro “Fênix” e está em plena campanha eleitoral, em busca da sua reeleição. A ultima pesquisa deixa claro isto. Moisés aprece muito bem, mas por outro lado, tem a maior rejeição com 18,1%. Óbvio que neste momento Moisés não está nem aí para a pesquisa e corre contra o tempo. Resta saber se ele conseguirá reverter esta rejeição, a tempo de ir à reeleição. Mas, no mínimo, é justo afirmar que Moisés colocou um novo ritmo e forma de governar, presente nas regiões e distribuindo verbas.

Fiel escudeiro

Inegavelmente, este sucesso momentâneo do governador Carlos Moisés tem o dedo, sim, do seu braço direito, o secretário da Casa Civil, Eron Giordani, que consegui aproximar o Legislativo e forças políticas, em prol deste novo projeto político do governador. Eron cresce dia a dia e ganha reconhecimento por isso, em todos os níveis e esferas políticas. Giordani já começa a chamar a atenção como um dos nomes viáveis para uma disputa eleitoral nas próximas eleições. Resta saber se ele estaria disposto a aceitar este desfio. De regra não, mas nada como dar tempo ao tempo, afinal em política não existe ponto final.

MDB vai de chapa pura???

O MDB catarinense discute internamente a possibilidade de sair com chapa pura para a disputa ao governo do estado. Na realidade, é uma forma de evitar um racha maior no partido. Mas, inegavelmente, a pré-candidatura do prefeito licenciado de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, ganha força e apoio dos líderes emedebistas. A própria bancada estadual se coloca nos bastidores pró-Antídio, com algumas exceções. A conferir

Veto ao fundo eleitoral

O maior ato que o presidente Jair Bolsonaro pode fazer este ano que antecede as eleições é vetar categoricamente o famigerado “Fundo eleitoral”, aprovado pelo Congresso no valor de R$ 5,7 bilhões. Isto é um verdadeiro tapa na cara dos brasileiros. Em plena crise e pandemia o dinheiro dos brasileiros ser gasto com campanha eleitoral. Quem quiser ser candidato a um cargo político que coloque o seu dinheiro, não o nosso. É uma vergonha, ver que o Congresso está preocupado mais com a vida dos políticos do que com a sociedade brasileira. Esta batata quente Bolsonaro vai ter que descascar, não tem como escapar.

Receba atualização das notícias pelo WhatsApp. Clique aqui!

Parceiros

Center Hotel

Publicidade

Inviolavel
Momento FM