quarta, 23 de outubro de 2019 - 06:27:38 PM
quarta, 23 de outubro de 2019 - 06:27:38 PM
Lucio Jaques
Andrioli Projetos
PUBLICADA EM 08 de outubro de 2019 - 5:26 PM

MDB aposta na unidade e volta dos históricos

Reana Seguros

O presidente estadual do MDB, deputado Celso Maldaner, está com o discurso afinado e busca a unidade organizando o MDB para as eleições municipais no ano que vem. Nomes de líderes esquecidos pelo partido voltaram a ser lembrados no MDB, como o ex-governador Paulo Afonso, senador Dário Berger começam a ser valorizados como nomes potenciais para as eleições de 2022,entre outros. Maldaner começa bem o seu mandato no comando do MDB, buscando a unidade do partido e respeitando os históricos. O MDB começa a juntar os cacos depois da derrota ao governo do estado e se reinventa para as próximas eleições.

Aberto a composições

Celso Maldaner acredita que o MDB será o grande protagonista das eleições do ano que vem. Questionado sobre o MDB estar coligado com o PT ou PSD, o presidente afirmou que para os partidos que acreditam no regime democrático, inclusão social e a responsabilidade fiscal “estamos abertos para receber apoio e composições”. Ou seja, o MDB estará aberto para composições, até mesmo com o PT. Evidente que cada região ou cidade tem suas particularidades que deverão ser levadas em conta. Já em Xanxerê tudo está em aberto. Ou não?

MDB está empolgado

Os emedebistas saíram empolgados do último encontro nacional em Brasília. O presidente estadual, deputado federal Celso Maldaner, enfatiza que o momento é de trabalho e de romper com os modelos que não se mostram eficientes. “Sei das dificuldades que ele e nós iremos enfrentar pelo desgaste que temos, mas o MDB é o maior partido do Brasil e, praticamente, em todos os municípios temos uma história de realizações por meio dos nossos prefeitos e vereadores, e é isso que precisamos mostrar à população de uma forma clara e justa, vamos fazer diferente”, disse.

Saindo das amarras

A eleição do deputado Baleia Rossi, de 47 anos, ao comando nacional do MDB, demonstra que o partido quer renovar, saindo das amarras da velha oligarquia que comandava o MDB há muitos anos e acabou levando o partido ao descrédito em muitos estados. Inclusive Santa Catarina que nunca concordou com a forma que o MDB era conduzido.

Em clima de entendimento

O nome da chapa “Renovação Democrática” foi o escolhido, pois a nova Executiva é formada por dirigentes que jamais haviam ocupado a cúpula nacional. Esses dirigentes foram indicados pelos diretórios estaduais com maior número de delegados no MDB. E é por isso que a chapa expressa um caráter democrático. A outra novidade importante é que a Convenção do MDB deste ano ocorreu em clima de entendimento e unidade, pois o partido precisa voltar a crescer.

Renovação democrática?

A chapa chamada “Renovação Democrática”, concorreu sozinha. Não teve oposição. Mas o que chama atenção é que entre os nove integrantes principais do grupo, há três filhos de políticos tradicionais. Baleia é filho do ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi. Newton Cardoso Júnior, do ex-governador de Minas Gerais Newton Cardoso. E Daniel Vilela do ex-governador de Goiás, Maguito Vilela. Em síntese, por mais que defenda a renovação, o novo comando é nada mais que a continuação da velha oligarquia que manda no partido em nível nacional há anos. Só agora com novos rostos. A conferir.

Nota segura

Cresce o consenso na Assembleia Legislativa para aprovar o projeto da Nota Fiscal Segura, do deputado Vicente Caropreso. A proposta prevê que o consumidor catarinense receba de volta, na forma de créditos, parte do ICMS (Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de comunicação) pago ao comprar de estabelecimentos no estado de Santa Catarina.

O cidadão pode contribuir

Os cidadãos já podem contribuir para a elaboração do Plano Geral de Atuação (PGA), documento que define as prioridades do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) para os próximos dois anos. Por meio de um formulário online disponível no Portal e nas redes sociais da Instituição, os participantes podem indicar temas institucionais prioritários em cada área de atuação do MPSC. Então, chegou a hora dos catarinenses fazerem a sua parte e contribuir com sugestões. Só reclamar não basta.

Manobra do Congresso

O Congresso preparou uma manobra que pode dobrar o valor dos recursos do Orçamento decidido pelos parlamentares cujo pagamento é obrigatório. O relatório da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), a ser votado por deputados e senadores hoje, traz uma brecha para que as emendas indicadas por comissões da Câmara e do Senado e pelo relator do Orçamento sejam impositivas, ou seja, com execução obrigatória. Hoje, somente as emendas indicadas individualmente pelos congressistas e pelas bancadas estaduais têm essa exigência. Se esta é nova política eu fico com a velha. Vantagens só para eles.

Cartão Sipag

Parceiros

Piccoli Parceiros
Tatu parceiros
Wilson Martins
Tiecher Banner

Publicidade

Inviolavel
Momento FM