quarta, 26 de junho de 2019 - 12:48:17 PM
quarta, 26 de junho de 2019 - 12:48:17 PM
Lucio Jaques
Andrioli Projetos
PUBLICADA EM 17 de abril de 2019 - 7:19 PM

Ministério Público investiga deputada Ana Campagnolo

Reana Seguros

A promotora Rosimary Machado Silva, da 27ª Promotoria de Justiça de Florianópolis, pediu esclarecimentos à Assembleia Legislativa sobre as diárias solicitadas pelo gabinete da deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL). O Ministério Público quer saber se as viagens da parlamentar, relatadas no Portal da Transparência, estão sendo usadas para o lançamento de seu livro, “Feminismo: Perversão e Subversão”, dentro e fora do Estado. A assessoria da deputada disse que ela não comentará a investigação do MP.

Analisar as informações

O procedimento instaurado pela promotora é uma notícia de fato, um processo inicial que tem prazo de 30 dias para ser concluído. Durante esse período, ela vai analisar informações e decidir se dará sequência à investigação por meio de inquérito.

Prova de fogo do PSL

Conforme o presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, a meta é organizar o partido em todos os 295 municípios catarinenses para ter candidatos à prefeitura em cada um deles. Na realidade, Esmeraldino acredita na “onda Bolsonaro” para eleger o maior número de prefeitos e vereadores, consolidando o partido no meio político. Afinal, o PSL é um partido novo que só entrou no cenário nacional com a eleição do governador Moisés e do presidente Bolsonaro. As próximas eleições serão a prova de fogo do partido.

A realidade é outra…

A ideia de lançar candidatos a prefeito nos 295 municípios catarinenses nas próximas eleições é natural de um partido que governa o país. Agora, quanto  a pensar que a “onda Bolsonaro”  será o fator preponderante para eleger os candidatos do partido, como foi na última eleição, isto não vai acontecer. Até porque o partido era novidade e tinha a eleição para presidente que puxou votos para o governador Moisés e deputados que nem campanha fizeram. Outro fator é que a eleição agora será nos municípios, onde a realidade é outra, são grupos políticos que detêm e ditam a política local. Podem até ocorrer algumas mudanças, mas bem localizadas no estado. Em Xanxerê, ainda não vejo esta mudança. Posso estar enganado.

Desembarque do PSB

Não são poucos os líderes e filiados ao PSB que estão descontentes com a cúpula nacional do partido. Desde a morte do presidente nacional do PSB,  Eduardo Campos, o partido perdeu o rumo e rasgou o seu discurso. As intervenções feitas causaram um desmanche no partido. Em Santa Catarina, o PSB já vem sofrendo turbulências internas faz tempo, como a expulsão do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, depois a saída do ex-deputado Paulo Bornhausen, entre outros fatos. No final do mês é esperada uma verdadeira debandada de lideranças do PSB.

Ganhar musculatura

Conversas de bastidores dão conta que o Democratas (DEM) deve ser o refúgio de políticos de outras siglas que devem deixar o partido. O DEM é visto hoje com um dos partidos que mais deve crescer e ganhar musculatura política até as próximas eleições.

Mais influentes

A revista americana “Time” elegeu o presidente Jair Bolsonaro uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. A lista foi divulgada nesta quarta-feira (17). Único brasileiro citado pela publicação, o presidente está ao lado de figuras políticas como Donald Trump, Juan Guaidó, entre outros. Com isso, aumenta a responsabilidade do nosso presidente perante o mundo. Esperamos que Bolsonaro largue o telefone e comece a trabalhar, olhando olho no olho.

Controvérsia

O cientista político Ian Bremmer, da consultoria Eurasia Group, faz um elogio ao Brasil. Diz que o “apetite por controvérsia” de Bolsonaro não é capaz de ocultar o fato de que o país tem “instituições que poderão limitar o bem e o mal que ele poderá fazer”. Para o cientista político, será decisivo para o futuro do governo saber se o presidente aprenderá a “trabalhar com o sistema”. “O tempo vai dizer se ele terá a flexibilidade e a resiliência de caráter que ele necessita”.

Deputados só na mordomia

Para os deputados, o feriadão de Semana Santa começou na terça-feira. A maioria permanece na “maciota” até terça-feira (23) da semana que vem. Todos, como manda a Lei, remunerados. Pode até ser legal, num país como o Brasil, que tem problemas seríssimos em quase todas as áreas e mais de 13 milhões de desempregados. Além de ser imoral é uma vergonha.

Cartão Sipag

Parceiros

Wilson Martins
Tatu parceiros
Tiecher Banner
Piccoli Parceiros

Publicidade

Inviolavel
Fit Fish
Momento FM