quarta, 20 de janeiro de 2021 - 03:16:17 AM
quarta, 20 de janeiro de 2021 - 03:16:17 AM
Lucio Jaques
App Sicoob
PUBLICADA EM 02 de dezembro de 2020 - 6:08 PM

A missão de Eron Giordani na Casa Civil

 

O novo chefe da Casa Civil, Eron Giordani, tem pela frente uma grande responsabilidade que é aproximar o Legislativo do Executivo, coisa que até agora nenhuma liderança colocada pelo governador Carlos Moisés conseguiu fazer. Eron é hábil e conhecedor, como poucos, dos gabinetes da Alesc. Sem dúvidas é a saída mais viável para Moisés voltar a ter a confiança dos deputados que foram ignorados e até mesmo afastados do governo, por falta de habilidade dos líderes do governador. Eron precisa mostrar muita diplomacia e paciência, qualidades que não lhe faltam. Outro fator que favorece o novo chefe da Casa Civil é que Eron tem credibilidade e palavra no que assume e promete. Mas não se engane, não será uma tarefa fácil!

Colombo não gostou…

Quem não gostou nada desta aproximação do PSD com o governador Carlos Moisés foi o ex-governador Raimundo Colombo que afirmou nas redes sociais: “Considero isso um grande erro. É esse posicionamento que irei levar na reunião da executiva do partido,” disse.

Governo de coalizão

O governador Carlos Moisés (PSL) voltou com a ideia de fazer um governo de coalizão. Moisés se aproximou da Assembleia Legislativa e agora busca outros segmentos para ter mais musculatura política. Mais do que isto, quer esquecer o inferno astral que viveu nos últimos meses com seu afastamento do governo.  O governador aprendeu que não se faz política sozinho, mas com grupos. Moisés abriu caminho para a construção de pontes para que os deputados possam participar das decisões do Executivo, evidência que o norte agora é assegurar a governabilidade nos próximos dois anos. Capiche?

Governador em Chapecó

O governador Carlos Moisés (PSL) vem a Chapecó nesta quinta-feira (3) assinar a ordem de serviço no valor R$ 250 milhões, para a execução das obras de captação do Rio Chapecozinho, para resolver o problema da água em Chapecó. O governador se aproxima do PSD e do Oeste, com ações como esta. Moisés tem dois anos para se redimir do seu distanciamento e das cobranças feitas pelos oestinos, que sentiram-se abandonados, nestes dois primeiros anos de governo.

Estilo Martarello de governar

O prefeito eleito Oscar Martarello (PSDB) e seu vice Adenilso Biasus começaram com o pé direito ao apresentar a nova equipe de governo para 2021. Martarello ganhou pontos ao valorizar os funcionários públicos colocando-os em cargos estratégicos em seu governo como secretários e diretores. Outro aspecto que chamou a atenção foi a valorização da mulher em seu governo. Martarello começa a mostrar o seu estilo de governar, sem amarras políticas e com economicidade nos gastos com a verba pública. Sem dúvidas, Martarello e Biasus deixaram uma excelente impressão, já de cara.

Os deputados de Xanxerê

O prefeito eleito Oscar Maratello (PSDB) fez questão de ressaltar em seu primeiro discurso na posse dos novos secretários que a arrecadação dos últimos anos tem sido baixa pela falta de representantes nos governos estadual e federal. Um sinal claro que nas próximas eleições, em 2022, Xanxerê deve apostar forte em nomes, visando buscar uma vaga na Assembleia e na Câmara federal. Dois nomes já despontam, o do ex-prefeito Bruno Bortoluzzi (PSDB) para deputado federal e do vice-prefeito Adenilso Biasus (MDB) para deputado estadual.

Choque de gestão

O prefeito eleito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), já mostrou que não veio para brincar. Rodrigues já se movimentou e foi em busca de recursos no governo do estado e uma solução para a falta de água no município. Recebeu sinal verde e apoio do governo Moisés. Rodrigues deve também ir a Brasília, tão logo assuma o governo em busca de vários recursos. Ele deixa claro nas entrelinhas que fará um governo de resultados, pensando Chapecó em longo prazo. Não tenho dúvidas que dará um verdadeiro choque de gestão, como já fez nas outras vezes em que foi prefeito de Chapecó.

Segundo processo de impeachment

Está marcada para o dia 14 de dezembro, às 9 horas, a sessão do Tribunal Especial de Julgamento para leitura do relatório e votação da admissibilidade do segundo processo de impeachment do governador Carlos Moisés da Silva. Este processo trata da compra dos 200 respiradores junto à empresa Veigamed e da tentativa de contratação do hospital de campanha de Itajaí, entre outras supostas irregularidades. Será que veremos mais uma pizza nesta novela sem fim dos processos de impeachment?

Partidos

A partir de 1º de janeiro de 2021, os 295 municípios serão governados por 16 partidos políticos diferentes. Em síntese, democracia é isso: agora os eleitos vão governar e aos vencidos cabe cobrar o cumprimento das promessas de campanha, que, convenhamos, a maioria não sai do papel ou do discurso. A conferir.

Madrugada de terror

Depois da madrugada de terror nas ruas de Criciúma, com reféns e ataque a bancos, a deputada federal Geovania de Sá (PSDB) já passou pela prefeitura da cidade. Ela acompanhou a coletiva de imprensa do governador e se colocou à disposição para o que for necessário. “O que for possível fazermos para garantir uma maior segurança para o cidadão criciumense, para cada catarinense, com certeza, será feito”, garante a deputada.

 

Parceiros

Publicidade

Inviolavel
Momento FM