quarta, 23 de outubro de 2019 - 06:14:54 PM
quarta, 23 de outubro de 2019 - 06:14:54 PM
Lucio Jaques
Andrioli Projetos
PUBLICADA EM 19 de setembro de 2019 - 5:43 PM

PL começa a ocupar espaços

Reana Seguros

O Partido Liberal (PL) xanxerense demonstra claramente que ao realizar o encontro regional, no próximo sábado (21), no município, com filiados e simpatizantes das regiões da Amai (Xanxerê) e da Amosc (Chapecó) trazendo sua principal estrela, o presidente estadual, senador Jorginho Mello e toda a bancada de deputados do partido para o encontro, busca se posicionar e ocupar espaço na Campina da Cascavel e Chapecó para a disputa da majoritária em 2020. Isto é indiscutível. O PL, sob o comando do ex-vice-prefeito Leandro Vigo, deixa o papel de coadjuvante para se tornar um dos partidos extremamente atraentes no pleito eleitoral para as próximas eleições municipais.

PL ganha musculatura política

Está confirmada a presença no encontro regional do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico de Chapecó, vereador (licenciado) Marcio Sander, que já anunciou que será candidato a prefeito nas próximas eleições. Resta agora neste encontro apenas a oficialização, por parte do presidente estadual Jorginho Mello da pré-candidatura a prefeito de Leandro Vigo. Com isso, o PL garante duas candidaturas fortes nas duas cidades polos das respectivas regiões, Amosc e Amai. Sem dúvidas, demonstra que o PL tem um projeto político definido e vem ganhando cada vez mais musculatura política para o pleito eleitoral. São dois nomes de peso e que merecem respeito.

PL é oposição em Xanxerê

Em entrevista exclusiva para este colunista, o presidente municipal do PL, Leandro Vigo foi taxativo em afirmar que o seu partido é oposição ao atual governo e alfineta: “Este grupo que administra o município há aproximadamente 16 anos tem deixado muito a desejar e acreditamos que pode ser feito muito mais. Por isso, somos oposição à administração municipal, queremos formar um grupo que trabalhe para o bem e o coletivo xanxerense. este grupo que administra o município priorizou mais o projeto pessoal  do que o projeto coletivo e nós não pensamos desta forma, afinal o poder público existe e tem o dever de trabalhar para as pessoas”, finaliza.

Quem quer ser vice?

Nos bastidores muitos pré-candidatos a prefeito começam a discutir quem poderia ser o vice na chapa majoritária nas próximas eleições, principalmente aqueles nomes que despontam nas pesquisas eleitorais, como pré-candidatos a prefeito em 2020. Mas estão enfrentando um grande problema, ninguém quer abrir mão da cabeça de chapa. Isto faz parte do jogo político, afinal falta quase um ano para as eleições e todos os pretensos candidatos querem mesmo é notoriedade e flash de luz sobre seu nome. Mas na hora de sentar e apresentar  quanto tem financeiramente para fazer a campanha, sem falar nos números da pesquisa, aí meu amigo muitos mudarão de opinião, rapidinho e vão sobrar nomes para vice-prefeito.

Alas dos descontentes

Não se ouve mais falar nada da ala dos descontentes do ninho tucano (PSDB) e dos pés vermelhos (MDB) xanxerense. Tudo levava a crer que haveria uma debandada com bate asas e bicadas dos tucanos, e sapateada e dança das cadeiras dos pés vermelho. Mas o silêncio paira sobre a Campina da Cascavel. A pergunta que não quer calar: O que fazem, onde estão e para onde irão?   Em breve, mais informações sobre este estranho desaparecimento.

Em conversações

O ex-deputado Gelson Merisio (sem partido) não tem parado para definir a sigla partidária. Merisio tem conversado com vários partidos, inclusive com o PL, mas até o momento ainda não definiu qual sigla será o seu novo domicílio eleitoral. Em recente conversa com o senador Esperidião Amin (PP), Merisio teria dito que sua decisão só sairá a partir do mês de outubro e Amin disse que respeitava. Enquanto isto, as apostas estão abertas para saber qual será a nova sigla de Merisio.

Em cima do muro

O MDB catarinense busca se recuperar do tsunami do ano passado, chamado Carlos Moisés, que venceu a eleição e fez o ex-deputado e candidato ao governo Mauro Mariani repensar e abandonar a sua vida política. Atualmente, o MDB está próximo e até apoiado o governo na maioria dos projetos enviados para a Alesc. Ao mesmo tempo, não admite que está junto, mas não dispensa em nenhum momento o tratamento Vip que recebe do governador. Seria, então, o prenúncio de uma possível aliança com o PSL em 2022 para o governo do estado? Ou o MDB ainda não achou um nome que una o partido em torno de um projeto à majoritária?

Operação Alcatraz continua

Para desespero de muitas lideranças ligadas ou com amigos envolvidos na Operação Alcatraz, desencadeada para investigar suposta corrupção na Epagri e na Secretaria de Administração em governos passados, as notícias não são nada boas. O tribunal, com sede em Porto Alegre, negou todos os recursos impetrados pelos advogados de defesa dos investigados. Conversas de bastidores dão conta que muitos políticos detidos como líderes caíram na malha da Alcatraz. Nomes que irão abalar o meio político aqui da região.

Relator da Lava-Jato em SC

O relator de processos da operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, estará no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), nesta sexta-feira (20), às 9h30, em Florianópolis. Fachin acompanhará a entrega de recursos do projeto “Pequenas Infrações Gerando Grandes Transformações”, que beneficiará 19 entidades com uma verba de aproximadamente R$ 6 milhões. Na oportunidade, o ministro fará um pronunciamento voltado à iniciativa do Judiciário catarinense, além de se manifestar sobre o atual momento do STF e do papel da Corte em defesa da Constituição.

Peso morto

O MDB nacional ainda não sabe o que fazer com o peso morto dentro do partido, o ex-presidente Michel Temer. A nacional já marcou sua convenção nacional para o próximo dia 6, em Brasília, e o ex-presidente Michel Temer já confirmou presença. Parece pouco disposto a se afastar da vida partidária, como prometeu. Na realidade, enquanto o MDB não acabar com os feudos que criou dentro do partido e fazer uma limpa, vai continuar sendo coadjuvante no processo eleitoral, nacionalmente.

Cartão Sipag

Parceiros

Tiecher Banner
Tatu parceiros
Wilson Martins
Piccoli Parceiros

Publicidade

Inviolavel
Momento FM