terça, 19 de outubro de 2021 - 02:19:03 PM
Lucio Jaques
App Sicoob
Topo out.
PUBLICADA EM 09 de fevereiro de 2021 - 11:21 AM

Posse de Buligon fortalece projeto para 2022

 

O ex-prefeito Luciano Buligon deu a volta por cima ao deixar a prefeitura de Chapecó. Buligon foi convidado pelo governador Carlos Moisés para assumir a secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável. Mais do que isto, o governador Moisés bancou Buligon neste novo cargo. Buligon garantiu em seu discurso que vai retribuir com muito trabalho e lealdade ao projeto do governador. Experiência e competência o ex-prefeito tem de sobra em vários setores da administração pública. A secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) centraliza, em um mesmo órgão, ações de ciência, tecnologia, inovação, energia limpa, defesa do consumidor, emprego e desenvolvimento econômico. Como secretário Buligon pode pensar em voos mais altos em 2022.

Ponta pé inicial

Indiscutivelmente, Luciano Buligon deu o ponta pé inicial para realizar o seu projeto político para 2022. Nos bastidores, para amigos mais próximos, Buligon não esconde que pensa em alçar voos mais altos nas próximas eleições, em 2022, como deputado, na Câmara Federal ou na Assembleia. Agora, como secretário de Estado terá mais visibilidade e oportunidades de mostrar o seu trabalho e se preparar para este novo desafio.

Oeste bem representado

O Oeste catarinense vive um momento especial, com muita representatividade no governo Carlos Moisés (PSL), neste novo momento do Executivo estadual. O último a assumir um cargo no governo foi o ex-prefeito de Chapecó Luciano Buligon, mas já fazem parte do governo, também, o deputado Altair Silva na secretaria da Agricultura, Eron Giordani na Casa Civil, entre outros, no segundo e terceiro escalões.  Isto deve gerar muitos frutos positivos para a região, que voltou a estar bem representada no governo. Um reconhecimento a uma das regiões mais produtivas do país.

Vereadores com vontade de trabalhar

O legislativo xanxerense começou o ano mostrando que está com vontade de trabalhar. Na primeira sessão do ano, muitas indicações e proposições foram apresentadas ao conhecimento do executivo. Como diz o ditado popular: “Vassoura nova, varre bem”. Vamos ver até quando esta vontade e independência para mudar e buscar realizar as demandas da sociedade vai perdurar.  A conferir.

Agilidade na casa

O presidente da Câmara de Vereadores de Xanxerê, Sergio de Souza Nunes (PSL), afirmou que o Legislativo dará agilidade aos projetos vindos do Executivo. “Não existe nenhuma intenção de engavetar projetos”, afirma. Que o presidente da Câmara tem boas intenções, isto ele já deixou claro, quando fez o gesto de visitar o prefeito, logo após ser eleito presidente da Casa. Mas uma coisa é certa, esta mesma eleição deixou claro que a oposição está no comando do Legislativo e deve marcar posição. Os projetos serão muito bem analisados, antes de serem levados à votação. Tudo vai depender do relacionamento entre Executivo e Legislativo. Por enquanto, é só love.

Nem tudo são flores

Nem tudo são flores na Câmara de Vereadores de Xanxerê, isto é inegável. A incompreendida virada da oposição que tem quatro vereadores e venceu as eleições, com cinco votos, para a presidência da casa, ainda não foi digerida pelos quatro vereadores da situação. O líder do governo, vereador Evandro Berto (PP), já deixou claro na tribuna que o voto do vereador Cabo Oliveira (MDB) que deu a presidência para Sergio Nunes (PSL) ainda está sem respostas. Conforme Berto, existia um acordo entre os cinco vereadores da situação, que foi quebrado por Cabo Oliveira. Em síntese, as feridas continuam abertas entre os vereadores da situação.

Habeas Corpus

A situação do deputado Júlio Garcia (PSD) não é das melhores, depois da decisão da Juíza Janaína Cassol em manter o parlamentar em prisão domiciliar. Sem falar nas duras restrições que o deputado deve cumprir, como entregar o passaporte, proibição de ter contato com familiares, e, caso decidir sair da Capital, terá que avisar o Judiciário. Janaína Cassol também determinou que, além da tornozeleira, o deputado não pode ficar fora de casa à noite, tendo que se recolher às 20h30 todos os dias, dentre outras restrições. O advogado de defesa Cesar Abreu trabalha para entrar com habeas corpus, visando relaxar as restrições impostas pela juíza.

 

Receba atualização das notícias pelo WhatsApp. Clique aqui!

Parceiros

Center Hotel

Publicidade

Inviolavel
Momento FM