sexta, 20 de setembro de 2019 - 09:47:29 PM
sexta, 20 de setembro de 2019 - 09:47:29 PM
Lucio Jaques
Andrioli Projetos
Sarampo
PUBLICADA EM 22 de março de 2019 - 3:47 PM

Presidente da Assembleia Júlio Garcia e as eleições

Reana Seguros

O presidente da Assembleia Legislativa Júlio Garcia (PSD) está em Chapecó, onde participa de um encontro regional do PSD com lideranças regionais e locais, a convite do deputado João Rodrigues e do presidente municipal José Caramori. Já no sábado participa de um evento com todos os presidentes de Apaes do Estado, no Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nes, a partir das 9 horas. Questionado sobre política, Garcia foi enfático: “Todos os partidos começam a focar na eleição municipal e, por isso, é preciso se organizar. A eleição do ano que vem tem um componente importante, que é a proibição da coligação proporcional, ou seja, cada partido precisa compor sua própria chapa para fazer legenda e eleger vereadores”, disse.

Merisio vai estar no encontro ?

A pergunta que não calar é se o ex-deputado Gelson Merisio estará presente no encontro regional do PSD, em Chapecó. Todos são sabedores que Merisio e Garcia não se bicam, nem transitam pelos mesmos caminhos partidários. Isto vem desde a eleição do ano passado, onde ambos divergiram e soltaram felpas e alfinetadas contra si.

Contorno leste

O prefeito de Xanxerê, Avelino Menegolla (PSD), esteve reunido com Renato Muniz (PR), assessor do deputado Nilso Berlanda, para tratar do acesso ao contorno viário leste junto à BR-282. Conforme Muniz, foi solicitado total empenho junto ao deputado Berlanda e ao senador Jorginho Mello, para que essa obra de acesso ao contorno viário leste pela BR-282 seja iniciada em poucos meses e concluída antes do final do ano. Muniz afirma ainda que o superintendente do Dnit, engenheiro Ronaldo Carioni Barbosa disse que aguarda apenas o parecer jurídico da Advocacia Geral da União (AGU), quanto ao aditivo na licitação, para que a empresa possa, então, iniciar os trabalhos.

Gean Loureiro pode sair do MDB

O MDB catarinense passa por uma de suas maiores turbulências internas. O partido sofreu um grande desgaste nas últimas eleições e as consequências começam a aparecer. Na região Sul do estado várias lideranças saíram do partido, entre elas estão dois ex-vice-prefeitos, e outras lideranças políticas. Agora quem vem dando sinais que pode sair do MDB é o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro. “O MDB era dirigido por membros de uma quadrilha”, se referindo ao caso envolvendo a prisão do ex-presidente Michel Temer. Para uma liderança expoente emedebista sua afirmação é muito forte.

Na lista da Lava jato

Michel Temer é o segundo ex-presidente que vai parar atrás das grades, assim como Lula da Silva. Na fila da Lava Jato tem mais dois ex-presidentes que estão na mira e podem seguir o mesmo caminho de Lula e Temer. A delação de Antônio Palocci complicou sobremaneira a situação de Dilma Rousseff. Fernando Collor continua sendo investigado. Resta-nos esperar para ver o desenrolar das investigações, mas não dá para duvidar que ambos acabem presos também.

Moro sabia…

O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi comunicado da operação que prendeu o ex-presidente Michel Temer (MDB), um dia antes de os policiais federais efetuarem as prisões. A informação foi apurada com integrantes da investigação. Apesar de não haver obrigatoriedade de que o ministro seja comunicado de cada operação, é praxe que a direção-geral da Polícia Federal informe o ministro da Justiça sobre a realização de operações de grande repercussão.

Amadorismo político

O fim da boa relação com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-), ameaça enterrar a reforma da Previdência. Maia não gostou nada das piadinhas de Carlos Bolsonaro que continua a provocar o presidente da Câmara nas redes sociais. Irônico, perguntou no Instagram, por exemplo, por que Rodrigo Maia anda tão nervoso. Maia avisou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que deixará a articulação política pela reforma da Previdência. Esta briga vem desde a eleição no Rio de Janeiro, onde os filhos de Bolsonaro foram eleitos em oposição ao grupo de Rodrigo Maia no estado. Flávio Bolsonaro (PSL), para o Senado e Carlos Bolsonaro (PSC), como vereador.  Mas os filhos de Bolsonaro deveriam ajudar o presidente, seu pai, não ficar colocando lenha na fogueira. Amadorismo político.

Brasileiro infeliz

A infelicidade tomou conta do Brasil, segundo o ranking do Instituto Gallup em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU) e fundações internacionais. A crise econômica e a desconfiança em relação aos líderes da política, principalmente, fizeram o país perder 16 posições em relação ao ranking de 2015, quando era o 15º país mais feliz do mundo, na frente de Luxemburgo, Irlanda e Bélgica, entre outros.  O ranking tem o objetivo de influir em políticas públicas.

Cartão Sipag

Parceiros

Tiecher Banner
Tatu parceiros
Wilson Martins
Piccoli Parceiros

Publicidade

Inviolavel
Fit Fish
Momento FM