quarta, 25 de maio de 2022 - 09:43:58 PM
quarta, 25 de maio de 2022 - 09:43:58 PM
Lucio Jaques
Campanha Agasalho
PUBLICADA EM 11 de maio de 2022 - 12:30 PM

PSD não chega a uma unidade e vai apoiar Gean Loureiro

 

O PSD catarinense, desde o começo, quando se falou em candidato ao governo para esta eleição, demonstrou estar indeciso e inseguro, mesmo tendo nomes de peso como o ex-governador Raimundo Colombo e o prefeito de Chapecó João Rodrigues. Mas os encaminhamentos das lideranças do PSD sempre foram independentes, não se via uma unidade do partido em defender um projeto maior rumo ao governo. Com isso, Rodrigues desistiu de concorrer e agora foi a vez de Colombo. Com isso, naufragou o projeto do PSD nesta eleição. Colombo continua na majoritária e vai disputar o senado. Já o PSD vai apoiar a candidato ao governo Gean Loureiro, do União Brasil.

Eron Giordani deve ser o vice de Loureiro

Este apoio a Gean Loureiro, do União Brasil, não agradou a alguns prefeitos e lideranças do PSD, que já manifestaram apoio à candidatura do governador Carlos Moisés. Mas o PSD pode virar o jogo e indicar o vice na chapa com Loureiro. O nome mais cotado é o do ex-chefe da Casa Civil Eron Giordani, que conta com apoio de João Rodrigues e do deputado Júlio Garcia. Diante disto, o PSD pode se recompor e marcar espaço nesta eleição, mesmo que de coadjuvante. Mas terá espaço e cargos no governo, o que fará os descontentes pensarem duas vezes antes de abandonar o barco e apoiarem Moisés.

Colombo vai ao senado

O ex-governador Raimundo Colombo (PSD), que sempre apareceu bem nas pesquisas para o governo do estado, jogou a toalha, definitivamente. Colombo, democraticamente, retirou sua pré-candidatura ao governo e vai disputar uma vaga ao senado. Colombo afirmou que “a coisa mais importante no processo político é a unidade”. Onde não há unidade, afirmou, há “intriga” e “individualismo”. Quando se trabalha “contra um grupo”, consequentemente, se trabalha “contra você”. Já o PSD definiu que vai apoiar a candidatura ao governo de Gean Loureiro (União Brasil).

Perdeu apoio

O pré-candidato ao governo pelo PL, senador Jorginho Mello, nunca admitiu publicamente que contava com o apoio da suplente de senadora, eleita na chapa com ele, Ivete Appel da Silveira (MDB). Mas sem dúvidas isto seria importante para seu projeto político e naturalmente traria apoio de alguns emedebistas. Mas Mello não vai poder contar com este apoio, já que Ivete declarou apoio à candidatura de Antídio Lunelli (MDB) ao governo do Estado. “Eu tenho muita esperança e confiança no nosso povo aguerrido do MDB”, disse a ex-primeira-dama.

Ainda não decolou

Por mais que o pré-candidato ao governo Antídio Lunelli (MDB) tenha mantido seu projeto político em disputar a eleição, sua campanha não decolou junto ao eleitorado catarinense. Continua morna, sem mexer com a grande massa de eleitores, principalmente emedebistas. Talvez isto mude até a convenção, quando ele deve ser homologado candidato ao governo pelo MDB. A conferir.

Receba atualização das notícias pelo WhatsApp. Clique aqui!

Parceiros

Momento FM

Publicidade

Inviolavel
Inviolavel