quinta, 22 de novembro de 2018 - 09:07:29 AM
quinta, 22 de novembro de 2018 - 09:07:30 AM
Lucio Jaques
PUBLICADA EM 06 de novembro de 2018 - 6:34 PM

Queda de braço na Alesc com a volta de Merisio

Reana Seguros

Com a volta do deputado Gelson Merisio (PSD) ao cenário político, depois de um merecido descanso, o clima na Assembleia voltou a ficar agitado. Não é para menos, afinal Merisio tem em seu grupo 16 parlamentares, o que deve ser levado em conta na hora das negociações para escolha do novo presidente da Casa. Mas, internamente, Merisio vai enfrentar uma queda de braço com seu desafeto, o deputado eleito Júlio Garcia (PSD). Garcia já se aliou ao correligionário Ismael dos Santos. Sem dúvidas, vai ser uma verdadeira queda de braço entre Merisio e Garcia.

MDB vai com quem?

O MDB também está nesta briga para escolha do novo presidente da Assembleia Legislativa. O partido tem no seu grupo 14 deputados. Alguns nomes já começam a ser cogitados, como os dos deputados Valdir Cobalchini Moacir Sopelsa, entre outros. Uma pergunta fica no ar: O MDB pode vir compor com o PSD para a escolha do presidente na Alesc, como aconteceu antes? Acredito que não. Mais certo com o grupo do PSL, que hoje tem seis deputados na casa.

Matemática

Se a matemática política fosse uma ciência exata, daria para dizer que os 16 do grupo de Gelson Merisio (PSD) e mais os quatro deputados do PT somariam 20. E que os 14 do grupo de Mauro Mariani (MDB) e mais os seis do PSL formariam outra frente de 20 parlamentares. Meio a meio. Como em política não existe ponto final, tudo pode acontecer em nome do poder. A conferir quem serão os vencedores. Vale lembrar que são necessários 21 para fazer a maioria na Casa e eleger a nova Mesa Diretora.

Articulando

Gelson Merisio voltou forte para a vida política. Já esteve reunido com o ex-governador Raimundo Colombo e com prefeitos do PSD. Merisio está se rearticulando e atuando firme para a futura composição da Mesa da Assembleia Legislativa, mas também cuidando do partido, ele vai retomando a rotina, depois do resultado do segundo turno das eleições.

Merisio e Kassab

O deputado Gelson Merisio esteve em São Paulo na semana passada, quando conversou com o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab. Avaliaram cenários futuros para o PSD, tanto no âmbito nacional, quanto no campo estadual, onde o próprio Merisio preside a legenda. Também conversaram sobre dívidas de campanha. Kassab sinalizou que vai ajudar o catarinense a saldar seus compromissos eleitorais.

Transição

O secretário da Fazenda, Paulo Eli, afirmou que a transição do governo está acontecendo normalmente em uma sala ao lado do seu gabinete. A equipe de transição do governo de Carlos Moisés (PSL) está ouvindo todas as secretarias para tomar pé da situação.

Expectativa

A expectativa na transição de governo é como o governador eleito irá encaminhar a reforma administrativa, se por projeto de lei ou por medida provisória à atual legislatura da Assembleia, depois que deu o prazo até a próxima sexta (9 ), para ter o diagnóstico administrativo-financeiro do governo do Estado. Para o presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, a grande missão é formatar o que o PSL pregou na campanha, um Estado mais enxuto, sem centenas de cargos comissionados e o fim das agências de Desenvolvimento Regional, mas admite que o assunto está com Moisés e que a reforma pode ser o que der para fazer até à posse, “se não o todo, pelo menos a base”.

Ser ou não ser…

Conforme Lucas Esmeraldino, qualquer indicação catarinense ao Ministério de Bolsonaro passará pelas bancadas estadual e federal do partido e pelo governador eleito. Esmeraldino não descarta que possa ocupar uma função no governo federal e diz que está entre ajudar o Comandante, caso fique no Estado, ou o Capitão, se for confirmado no Senado.

Velha política?

Pois é, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) pregou a mudança e se elegeu com este discurso, mas procurou em um parlamentar que simboliza a velha política, o deputado federal Onyx Lorenzoni, o articulador que conversará com o Congresso e já atua, com plenos poderes, na transição. Tem coisas que não dá para arriscar.

Salário dos servidores

Conforme o secretário da Fazenda,  Paulo Eli, os salários estão garantidos. A folha de novembro será paga no dia 30, a de dezembro será creditada no dia 28 de dezembro. O décimo terceiro também já está assegurado. “Já pagamos 50% em julho e a outra parcela está programada para o dia 17 de dezembro. Mas a grande preocupação é manter os salários em dia em 2019. O pagamento da dívida pública em 2019 será bem maior do que a desse ano. Temos que trabalhar para alongar os pagamentos da dívida pública”, afirma.

Alesc

Quase um ano após ser comprado pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) por R$ 83 milhões, o prédio localizado na avenida Mauro Ramos, em Florianópolis, agora tem seus oito andares ocupados por servidores de setores administrativos do Legislativo. Aproximadamente 480 servidores foram remanejados para o novo endereço, entre os últimos meses de agosto e outubro. No térreo estão distribuídas as salas de arquivo, almoxarifado, zeladoria e as salas de extensão da Escola do Legislativo e do patrimônio. Do 1º ao 8º andar funcionam a Escola do Legislativo e setores de saúde, RH, administrativo, jurídico, financeiro, T.I, diretoria administrativa e coordenadorias.

Cartão Sipag

Parceiros

Tiecher Banner
Piccoli Parceiros
Tatu parceiros

Publicidade

Fit Fish
Inviolavel
Callfass Transportes
Momento FM