quarta, 21 de abril de 2021 - 05:47:18 AM
quarta, 21 de abril de 2021 - 05:47:18 AM
Lucio Jaques
App Sicoob
PUBLICADA EM 06 de janeiro de 2021 - 7:20 PM

Surpresa na eleição da Câmara de Vereadores de Xanxerê

Compra Lergal

 

Mais uma vez, a escolha do novo presidente da Câmara de Vereadores de Xanxerê causou espanto e surpresa. A situação contava com cinco vereadores, a maioria para escolher e definir o novo presidente, mas não foi isto que aconteceu. A oposição, em uma manobra inesperada, conquistou o voto do vereador Cabo Oliveira (MDB), com isso elegendo Serginho Nunes (PSL) presidente (foto). Sem a presidência da Câmara e a maioria, a situação vai ter que sentar para negociar os projetos polêmicos.

Sandálias da humildade

Sem dúvidas, o grupo da situação errou feio em não sentar antes e dialogar com todos os envolvidos no processo para a escolha do novo presidente da Câmara de Vereadores. Pelo menos isto é o que se percebe. Algo motivou o vereador Oliveira a mudar seu voto de última hora. Quem ganhou foi a oposição que ocupou um espaço importante nestes dois primeiros anos de mandato na Câmara e se consagrou como oposição. Isto ficou claro. Está na hora de calçar a sandália da humildade e unir os partidos e líderes da coligação que venceu as eleições. Que isto sirva de lição.

Dormiu presidente, acordou vereador

Por incrível que pareça, ainda tem liderança que não aprendeu a lição de casa na vida pública, principalmente em Xanxerê. Em política tudo pode acontecer, não existe ponto final. Teve vereador que já ventilava nos corredores da Câmara, antes da eleição, que ele seria o novo presidente. Primeiro erro crasso, segundo não acertou antes com os “russos” ou o “russo” (Cabo Oliveira). Tem horas que falar vale prata e calar vale ouro. Coisas da política.

Pegos de surpresa

Conversei com lideranças emedebistas sobre o episódio na Câmara de Vereadores de Xanxerê, que motivou o vereador do MDB Cabo Oliveira a mudar o voto e apoiar a oposição. Muitos ainda tentam entender. “Fomos pegos de surpresa, afinal os cinco vereadores da situação, vinham conversando. Até agora não entendemos o que motivou ele a mudar o voto. Mas faz parte da política”, disse uma liderança.

Diplomacia

O presidente da Câmara de Vereadores de Xanxerê, Sergio de Souza Nunes (PSL), começou bem como presidente. Agiu com diplomacia e foi visitar o prefeito Oscar Martarello (PSDB) e o vice Adenilso Biasus (MDB), colocando a casa à disposição para apoiar projetos que venham ao encontro da sociedade xanxerense. Mas sem deixar de marcar a sua posição e do Legislativo, que é de independência. Em síntese, fez o gesto. A conferir.

Campanha de orientação

Assim como o governo do estado está realizando uma campanha nas mídias de orientação sobre o perigo e o grande crescimento de contágio do Coronavírus, as prefeituras também deviam fazer, como forma de conscientizar a sociedade do perigo deste vírus, que tem matado muita gente nestes últimos meses, sem falar que já foi detectada uma nova “cepa” do vírus, mais contagiosa ainda. Apenas como sugestão.

Moisés muda a forma de governo

A grande mudança do governo de Carlos Moisés (PSL) teve início no mês de dezembro, quando em um acordo inesperado por todos, Moisés selou o pacto de boa vizinhança com o presidente da Alesc, Júlio Garcia (PSD). Mais do que isto, convidou o chefe de gabinete da Alesc, Eron Giordani, para ser chefe da Casa Civil, dando uma nova cara para o governo e aproximando lideranças que estavam afastadas do governador.

Melhorar a imagem

Foram dois anos de desacertos e divisões, entre Legislativo e Executivo. Este último ano foi literalmente muito turbulento, marcado pela CPI dos Respiradores e dois pedidos de impeachment do governador Moisés da Silva (PSL) em plena pandemia. Agora, ambos buscam mostrar e trabalhar para conquistarem o apoio da sociedade catarinense, melhorando o convívio e a imagem entre as duas casas. A conferir até quando.

Ganha apoio e prestígio

Nesta nova forma de fazer política, o governador Carlos Moisés vem ganhando apoio e prestígio perante seus ex-adversários ferrenhos, como os deputados Ivan Naatz (PL) e Kennedy Nunes (PSD), que têm comparecido em compromissos junto com o governador Moisés. Esta mudança abrupta de postura dos dois deputados tem chamado a atenção. Afinal, Naatz foi relator de um pedido de impeachment contra Moisés e Kennedy foi opositor ferrenho. Ao que parece, agora é “só love” entre o trio. Até quando?

 PSL na Alesc

Muito mais do que uma nova postura, o PSL catarinense este ano marca sua posição na nova Mesa Diretora da Alesc. O partido vai ficar com a primeira secretaria no mesmo sistema de divisão do mandato que marcará a presidência do MDB entre Mauro de Nadal e Moacir Sopelsa.

Como fica

No primeiro ano, o deputado Ricardo Alba será o primeiro secretário. No segundo, a atribuição caberá a Felipe Estevão. Deputada Ana Campagnollo permanecerá na liderança da bancada em 2021 e o deputado Coronel Mocellin vai integrar a Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante da Assembleia Legislativa. O PSL começa a mostrar o seu novo estilo de fazer política “a la Moisés”.

Receba atualização das notícias pelo WhatsApp. Clique aqui!

Parceiros

Publicidade

Inviolavel
Momento FM