terça, 16 de outubro de 2018 - 01:39:25 AM
terça, 16 de outubro de 2018 - 01:39:25 AM
Lucio Jaques
Sessões outubro
Limpeza rio Xxe
PUBLICADA EM 09 de agosto de 2018 - 6:58 PM

Tucanos do oeste reclamam de acertos

Reana Seguros

Tucanos do Oeste não gostaram nada dos acertos realizados pela cúpula do partido em nível estadual para fechar as coligações. A reclamação é que “todos os caciques acertaram o seu lado pós-eleição”, já o Oeste ficou fora das negociações. Em síntese, “para trabalhar pelo partido, os tucanos oestinos são excelentes, agora na hora de repartir o bolo ficam de fora”. Tem tucano bicudo.

Falar com a base

Os candidatos ao senado Paulo Bauer e a vice Napoleão Bernardes, na chapa do MDB, começaram um roteiro político nesta quinta e continuam na sexta-feira. Vão explicar às bases e lideranças do PSDB, como prefeitos, vices, vereadores e apoiadores, a participação do partido na chapa liderada por Mauro Mariani (MDB). O objetivo é também mobilizar o partido, oxigenando os tucanos catarinenses para a largada oficial da campanha, no dia 16 de agosto. E aparar arestas dos que ficaram fora do processo pré-definições. Bauer e Napoleão começaram por Chapecó, vão a Joaçaba, Rio do Sul e Navegantes, cortando o Estado do Oeste ao Litoral.

Presidência a Alesc

Analistas políticos dão como certo que se Mauro Mariani vencer o governo e o MDB e o PSDB aumentarem as bancadas na Assembleia ou pelo menos mantiverem o mesmo desempenho, ao lado de PR e PPS, o deputado Marcos Vieira estará a caminho de presidir a Alesc. Este passo só será interrompido se Julio Garcia (PSD), que pretende voltar ao plenário, assegurar apoio maciço dos que estão com Gelson Merisio e o pessedista venha a chegar ao Centro Administrativo. Mas nada impede que Vieira e Garcia dividam a responsabilidade em dois anos de comando para cada um.

 Amin blefou

O candidato ao senado Esperidião Amin (PP) blefou afirmando que era candidato ao governo, depois voltou atrás afirmando que não tinha outra saída.  Amin até tentou dar o golpe em Gelson Merisio com sua pseudo candidatura ao governo, mas percebeu que ficaria isolado sem apoio dos correligionários, esta é verdade. No final, Amin negociou e muito bem a sua candidatura ao senado, isto sim.

Família unida

Esperidião Amin (PP), candidato ao senado, ficou fora por um tempo do comando do partido cuidando apenas de seu mandato como deputado federal, agora nas eleições voltou à cena e pintou e bordou dentro PP, até conseguir espaço para toda família disputar a eleição. Sua mulher Angela Amin vai concorrer para deputada federal, seu filho o deputado estadual João Amin vai à reeleição e o “Dãozinho”, para os íntimos, vai ao senado. Que família unida. Um belo exemplo de como se fazer partido em prol da sua família.

Dois ficaram no caminho

Serão quatro candidatos disputando duas vagas ao senado, Esperidião  Amin (PP), Jorginho Mello (PR), Raimundo Colombo (PSD) e Paulo Bauer (PSDB), mas apenas dois serão eleitos nesta eleição. Para analistas políticos Jorginho Mello e Esperidião Amin são cotados como eleitos, ficando no caminho Colombo e Bauer. A conferir.

Vignatti na Câmara

O ex-deputado federal Claudio Vignatti (PT), busca mais uma vez voltar à Câmara Federal. Quando foi deputado, Vignatti realizou uma belíssimo trabalho em prol dos municípios catarinenses, sem distinguir nem prefeito, independente da sigla partidária, o que lhe dá tranquilidade para buscar apoio  em todas as regiões do estado. Articulado e com experiência, Vignatti tem tudo para se reeleger.

Eleição polarizada

Serão oito candidatos disputando o governo do estado, mas indiscutivelmente a eleição está polarizada, indicando segundo turno entre Gelson Merisio (PSD), liderando aliança com 15 partidos, e Mauro Mariani (MDB), apoiado por nove siglas. A não ser que um fato novo decida a eleição no primeiro turno.

Movimento

Tem alguns tucanos desgarrados do ninho que afirmam não votar no candidato ao governo do MDB, Mauro Mariani. Isto já acontece em cinco municípios do Alto Vale do Itajaí, começando pelo prefeito José Thomé (PSDB). Isto explica o Movimento “Tucano + 10”. O número do PSDB é 45 e o de Merisio, 55.

Maldaner é suplente

O ex-senador Casildo Maldaner (MDB) é o primeiro suplente do candidato ao senado pelo PSDB, Paulo Bauer. O segundo suplente é o vice-prefeito de Içara, Sandro Giassi Serafin.

Estratégias do PSL

O consultor político Laércio Menegaz Júnior, comanda as estratégias e ações da campanha do PSL, o partido de Jair Bolsonaro, em Santa Catarina. O trabalho já começou. Laércio, já trabalha com o presidente da sigla e candidato ao Senado Lucas Esmeraldino e os candidatos a governador e a vice, o coronel BM Carlos Moisés da Silva e a advogada Daniela Reinehr, para levar a campanha de Bolsonaro pelo estado.

Senado

Além de dois terços das cadeiras do Senado (54 de um total de 81) estarem em jogo nas eleições deste ano, a renovação pode chegar a 73 vagas (90%): há 17 senadores no meio do mandato disputando governos estaduais, uma senadora tentando ser vice e outros dois na briga pela presidência e à vice-presidência da República. Poderá ser a Casa legislativa com o maior índice de renovação em todo o País.

Cartão Sipag

Parceiros

Piccoli Parceiros
Tiecher Banner
Tatu parceiros

Publicidade

Fit Fish
Inviolavel
Callfass Transportes
Momento FM