sexta, 17 de setembro de 2021 - 03:34:32 AM
Lucio Jaques
App Sicoob
Topo setembro
PUBLICADA EM 16 de agosto de 2021 - 12:30 PM

Vice-prefeito Biasus é pré-candidato a deputado estadual pelo MDB

 

Durante o encontro do MDB, em Xanxerê, foi lançada oficialmente a pré-candidatura do vice-prefeito Adenilso Biasus para deputado estadual, com apoio do partido. O encontro contou com a presença do presidente estadual do MDB deputado Celso Maldaner, senador Dário Berger, presidente da Alesc Mauro de Nadal, deputados estadual Valdir Cobalchini e federal Carlos Chiodini, além de lideranças da região do Alto Irani. Biasus afirma não ter dúvidas que com apoio do partido e prefeitos do MDB, o partido tem reais chances de eleger um deputado estadual, para melhor representar Xanxerê e a região.

Sonho de ser governador

Conversei com o senador Dário Berger (MDB) sobre as prévias para escolha do pré-candidato ao governo em 2022. Berger afirmou que já conquistou todos os degraus necessários dentro partido. “Penso que a minha história deve convencer os correligionários de que sou a melhor opção para enfrentar este grande desafio, uma vez que fui prefeito de duas grandes cidades, São José e Florianópolis, e sou senador da República. O meu sonho sempre foi ser governador de Santa Catarina”, garante.

Fogo amigo

O senador Dário Berger (MDB) não admite, mas já percebeu que existe, internamente no partido, certa resistência pela aprovação do seu nome para disputar o governo do estado. Berger esteve em Xanxerê e se mostrou um pouco chateado com o famoso “fogo amigo”. Em seu discurso para as lideranças de toda região do Alto Irani foi enfático em afirmar que esta é sua última tentativa em disputar o governo. “Se não tiver apoio e não puder disputar vou pendurar minhas chuteiras”, disse.

O MDB é independente, não faz parte do governo!

O presidente do MDB catarinense, deputado Celso Maldaner, foi taxativo em uma entrevista que concedeu a este colunista, afirmando que o MDB não faz parte do governo de Carlos Moisés. “O MDB é independente, não é governo federal, nem governo estadual. O MDB nunca sentou, discutiu ou pediu um carguinho no governo estadual ou federal. O que existe, sim, foi uma decisão da bancada estadual, visando dar sustentabilidade ao governo Moisés, para recuperar os dois anos perdidos deste governo”, garante.

Coligações não passa na segunda votação

Questionei o deputado federal Celso Maldaner sobre a volta das coligações para as próximas eleições. Maldaner afirmou que votou contra e não acredita que em segunda votação, nesta terça-feira (17), seja aprovada. “Para ter uma democracia forte, temos que ter partidos fortes. Acredito que não deveria ter coligação para majoritária, nem para proporcional”, afirma.

Moreira no BRDE

O apoio da bancada do MDB ao governo Carlos Moisés com certeza não é de graça, nem pelos belos olhos do governador, é obvio. A retribuição pelo gesto dos emedebistas veia agora com a nomeação do ex-governador Pinho Moreira para uma diretoria do BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul). Isto consolida, ainda mais, a aproximação e apoio da bancada na Alesc ao governo Moisés.

Moisés convidou Pinho Moreira

Questionei o presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal, sobre Pinho Moreira assumir uma diretoria no BRDE. Conforme Nadal, o convite foi específico o Pinho Moreira, formulado pelo governador Carlos Moisés. “Moreira é nosso líder, um ex-governador e com uma vasta experiência no setor público se qualificou para ocupar este espaço. É inegável que o MDB está ajudando o estado e a administração Carlos Moisés. Aliás muita coisa que está acontecendo no governo é fruto desta conversa e aproximação do MDB e governo. Mas todos os partidos fazem parte deste governo neste novo modelo de gestão”, disse.

Prisão do Mensaleiro

A prisão do aliado de última hora do presidente Bolsonaro, o ex-deputado Roberto Jefferson pegou de surpresa parlamentares do núcleo bolsonarista. A notícia também foi recebida com preocupação, pois o ex-deputado foi enquadrado como integrante do núcleo político do inquérito das milícias digitais.  O mandado é de prisão preventiva (que não tem prazo estipulado para acabar). A autorização da prisão partiu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) e ocorre dentro do chamado inquérito da milícia digital, que é uma continuidade do inquérito dos atos antidemocráticos.

Lula abre o verbo

O ex-presidente Lula (PT) afirmou que não acredita que a polarização prevista para as eleições de 2022 seja um problema para o Brasil. “As pessoas não têm que ter medo da polarização. O povo vai ter que escolher entre a democracia e o fascismo”, afirmou. Lula ainda alfinetou Bolsonaro afirmando que as últimas eleições foram uma “anomalia”, e disse acreditar que é possível para o PT recuperar o patrimônio eleitoral no Estado. Santa Catarina hoje é um dos estados mais bolsonaristas do país. Lula criticou o governo do presidente Jair Bolsonaro, falou sobre impeachment e admitiu que o PT tem erros a reparar. A conferir.

Polarização entre Lula e Bolsonaro

Até o momento, a eleição do ano que vem esta polarizada entre dois personagens, o presidente Jair Bolsonaro, que vai à reeleição, e o ex-presidente Lula, candidatíssimo a presidente pelo PT. Se discute muito o surgimento de outro candidato a presidente pela chamada Terceira Via, mas isto não tem ganhado força suficiente para ecoar no meio político.  O tempo também conspira contra. Enquanto isto, a maioria dos eleitores continuam divididos e à espera de um novo candidato à presidência.

 

 

Receba atualização das notícias pelo WhatsApp. Clique aqui!

Parceiros

Incentivo comercio

Publicidade

Center Hotel
Momento FM
Inviolavel